segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Atemi waza. Enpi uchi 3: Yokomenuchi kokyu nage [kaiten nage henka/oyo waza, soto mawari]

 Oyo waza significa técnica aplicada. Henka waza é a variação de uma técnica. Com este kata, estudamos oyo waza e henka waza do kaiten nage soto mawari.

Ataque com o tegatana,
ao pescoço do tori.


Tori e uke encontram-se de pé, frente a frente, em ai hanmi. Tori e uke estão ambos em hidari hanmi.

- Uke dá um passo para a frente com o pé direito, e ataca a parte lateral esquerda da cabeça do tori, com o seu tegatana direito.

Yokomen uchi à têmpura do tori.


- Tori, mal o uke se mova, avança com o seu pé esquerdo na diagonal para a esquerda.

- Tori cancela o ataque do uke, controlando o seu ataque com o braço esquerdo.

- Tori aplica age enpi uchi ao queixo do uke, com o seu cotovelo direito.

. Imediatamente depois do uke sofrer o ataque com o cotovelo, tori aproveita e agarra o pescoço com a mão direita e o seu pulso direito com a mão esquerda.

- Tori dá um passo para trás na diagonal com o pé direito e ajoelha o joelho direito.

- Tori projecta o uke com um sentimento de sutemi waza, puxando o pescoço do uke para o chão e empurrando o seu pulso por cima da sua cabeça. 

- Tori mantém o zanshin.

- Repetir do outro lado.


Significados:

Age: vem do verbo 'ageru' (lê-se 'agueru'), que significa, elevar (também dar, como oferecer comida)

Age enpi uchi: um ataque com o cotovelo, de baixo para cima.

Oyo: aplicação

Oyo waza: técnica aplicada (normalmente mais rigorosa).

Age enpi uchi







Dicas:

É muito importante mover-se contra o ataque yokomen do uke, mal este se mexa. Um atraso irá dificultar o cancelamento/bloqueamento do ataque do uke.

Ao avançar contra o ataque yokomenuchi do uke, é importante baixar bem as ancas para que, no momento do contacto, o corpo do tori esteja bem solido.

É importante saber a posição de contacto entre os dois braços. 

Contra atacantes mais altos, em vez de golpear o queixo do uke, podemos usar a mesma técnica para atacar o seu plexo solar.

Ainda que no kaiten nage normal se agarre o pulso do uke ao contrário, nesta versão, o pulso é agarrado 'naturalmente'.

Também, no kaiten nage normal agarra-se a cabeça o uke, mas aqui a variação exige que se agarre no pescoço com um "agarro-gancho".

Variação do enpi uchi, quando aplicado
ao plexo solar

Por favor estudar bem a forma de golpear con enpi uchi, para evitar que, numa situação real, se lasmite o cotovelo. Treinar sempre makiwara como forma de fortalecer os ataques e atemi.


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires
Fotografias: Tristão da Cunha. Participaram: Gil Vargas e Jorge Feio

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2021

Atemi waza - Enpi uchi 2 - Katate dori shiho nage omote

 A segunda forma a estudar de enpi uchi para os exames de kyu que contêm atemi waza, é katatedori shiho nage omote waza.

Uke e dori encontram-se de pé, frente a frente, em gyaku hanmi. Tori está em hidari hanmi e o uke em migi hanmi.

- Uke move-se na direção do tori e agarra o seu pulso esquerdo, com a mão direita.

- Tori, mal o uke agarre o seu pulso, abre os dedos da mão e enche-a de ki.

- Tori sai fora da linha de ataque com o seu pé esquerdo e depois ajusta o pé direito, colocando-se a 90º com o hanmi do uke.

- Tori aplica um atemi à cara do uke. Em Baixo: possibilidades de atemi waza










- Enquanto o uke defende a cara do atemi, com a sua mão esquerda, tori imediatamente agarra, firmemente, o pulso direito do uke por debaixo.
- Tori torce o pulso do uke colocando pressão no tsubo da base do polegar to uke, com o seu polegar direito.
- Tori dá um passo para a frente com o seu pé esquerdo, passando por debaixo do braço do uke.
- Uke resiste contra este movimento e tenta puxar o seu braço direito.
- Tori aplica yoko enpi uchi às costelas do uke (verificar o ultimo atemi waza publicado aqui).
- Tori, com a mão esquerda, agarra a parte de fora da mão direita do uke, torce-a e gira 180º para trás.
- Tori desequilibra o uke e projecta-o.
- Repetir do outro lado.

Dicas:
É importante o praticante estudar os pontos de pressão, tais como o tsubo da base do polegar. Além de estudar a sua localização, deve também estudar o angulo de pressão e quanta pressão é necessária aplicar para torná-la eficaz.
Há outros pontos de pressão que podem ser aplicados nas costas da mão do uke, com os 4 dedos restantes da mão.
Embora se pratique passo a passo, a rapidez da implementação das técnicas é essencial, principalmente contra adversários de maior estatura e força.

Definição:

Tsubo: ponto de pressão




Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires
Fotografias: Tristão da Cunha. Participaram: Gil Vargas e Jorge Feio

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

terça-feira, 19 de janeiro de 2021

quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Atemi waza - Enpi uchi 1 - Katate dori kaiten nage uchi mawari

 Kaiten nage é uma técnica simples e interessante. Esta técnica pode ser praticada em suwari waza, em hanmihandachi waza e em tachi waza.

- Tori e uke estão de pé, frente a frente, em gyaku hanmi. Tori está em hidari hanmi e uke está em migi hanmi.

- Tori oferece o seu braço esquerdo e uke agarra o pulso esquerdo de tori, com a sua mão direita.

- Tori movimenta o seu corpo para a frente, para o lado esquerdo, com tsugi ashi, usando o seu pé esquerdo.

- Tori aplica um atemi [seikenzuki ou uraken] à cara do aité. Aité defende-se desviando o atemi para fora, com a mão esquerda.

- Tori dá um passo para a frente, com o seu pé direito, passando por debaixo do braço direito de aité.

- Tori aplica yoko enpi uchi às costelas de aité.



- Tori gira o seu corpo para traz, pelo lado esquerdo ficando em hidari hanmi.

- Tori dá um grande passo para trás na diagonal. Com este movimento, tori estica o braço de aité e imediatamente controla a sua cabeça empurrando-a para baixo.

- Tori dá um grande passo para a frente, por debaixo do aité, com a sua perna esquerda e projecta o uke.

- Repetir do outro lado.


Definições:
Enpi: um tipo de pá. Enpiuchi: cotovelada
Kaiten: rotação; virar
Seikenzuki: murro directo
Uraken: golpe com as costas da mão

Dicas:
Quando se avançar para o lado direito de aité, é importante, ao movimentar o seu braço para trás, manter a sua mão no mesmo nível até o desequilíbrio começar, só então, levantar o seu braço. Não fazer um movimento brusco, para que o  agarro de aité continue forte.
Ao rodar o corpo para trás, manter o seu agarro por cima da nossa cabeça, para assim se poder girar livremente por debaixo.
Depois de entrar e quando fizermos a rotação do corpo para trás, proteger o lado esquerdo da cabeça com a mão direita, pois nesta altura o aité pode desferir um ataque com o cotovelo.
Quando se controlar a cabeça do aité, pressioná-la para baixo e agarrar fortemente "enfiando os dedos no crânio".
Ao cair, é importante que o uke use yoko ukemi para evitar magoar-se.


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires
Fotografias: Tristão da Cunha. Participaram: Gil Vargas e Jorge Feio

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2021

Atemi waza. Tsuki waza/ te waza. Ushiro ryokata dori aiki otoshi/ashi otoshi

 A última técnica proposta neste conjunto de formas para treinar o tsuki waza é o Aiki Otoshi/Ashi Otoshi.

- Uke agarra ambos os ombros de tori por detrás, com a posição de migi hanmi. Tori também se encontra em migi hanmi, para um treino básico.

- Tori rapidamente olha para trás para discernir a posição do uke.

- Tori baixa as ancas e dá um passo com o seu pé direito para trás e para o lado direito, na diagonal, saindo fora da linha de ataque e desequilibrando o uke para a direita, assumindo a posição de kenkagoshi.

- Tori dá um passo para trás do uke com o seu pé esquerdo.

- Tori aplica um atemi com a mão direita ao pé direito do uke, usando "oniken" (conhecido no karate como "nakadaka ken").

Oniken ou nakadaka ken


 - Tori empurra as ancas contra as pernas do uke, agarra ambos os joelhos um   pouco por detrás pressionando-os um contra o outro.

- Tori empurra as suas ancas para a frente ao mesmo tempo que 'atira' os joelhos do uke para fora e um pouco para cima.

- Mal o uke caia, tori envolve o braço direito do uke com o seu braço esquerdo e aplica a pressão rokyo contra o cotovelo. 

- Quando o uke se torcer para fora com a dor do rokyo, tori imediatamente coloca o seu joelho direito em cima das ancas do uke (irá depender do tamanho do uke e do tori), para impedir uma joelhada ou pontapé.

Tetsui uchi
 - Tori aplica um atemi final ao plexo solar do tori, com tetsui uchi, com a intenção de quebrar o apendix xifoideu.





Dicionário:

Kenkagoshi: kenka= luta; goshi/koshi= ancas. Ancas de luta

Otoshi: deixar cair, cair

Tetsui uchi: tetsu: ferro; tetsui= 'martelada'; uchi= pancada

Dicas:

É importante que o agarro 'ryokata dori' do uke seja correcto ou a técnica deixa de ter sentido. Ambos os ombros devem ser agarrados de lado e pressionados um contra o outro, de forma a impedir que o tori mova os braços para trás ou para a frente.

Ao sair fora da linha de ataque, é importante que o tori enrole os braços à volta do seu corpo, assumindo a posição de "kenkagoshi".

Ao dar um passo para trás do uke, é importante que o tori baixe muito as ancas, dobrando os joelhos.

Ao aplicar atemi contra o pé direito do uke, é importante que o tori se proteja de uma joelhada colocando e pressionando o seu joelho contra a perna direita do uke.

O professor irá ensinar o local para aplicar o atemi, mas também podem experimentar com os parceiros durante o jyu keiko.

Saber conjugar o movimento das ancas com o movimento de 'atirar' os joelhos do uke é essencial.

É muito importante saber acabar a técnica correctamente e, por isso, devemos aprender a aplicar bem o rokyo.

É importante manter sempre controle completo do corpo do uke, de forma a que não possa haver um contra ataque.

O atemi final, ao apêndice xifoideu, irá utilizar o tetsui uchi para quebrar este osso. Ao quebrar-se, o osso irá perfurar o diafragma com a possibilidade de também perfurar o fígado, resultando numa hemorragia letal. 

A forma mais suave deste atemi - ao plexus solar - irá fazer com que o diafragma pare e que seja difícil respirar, o que fará com que o adversário pare o seu ataque. 

Se se sofrer acidentalmente um destes ataques, deveremos inspirar profundamente e descansar.


 Apêndice xifoideu Link aqui


Saito sensei aplicando aplicando atemi ao pé
com oniken. 
Traditional Aikido, Vol IV, pag 115



Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires
Fotografias: Tristão da Cunha. Participaram: Gil Vargas

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

QUE ANO INTERESSANTE

 Que ano interessante


Este ano, ouvi dizer, é para esquecer.

Acho que não. Este é um ano que não devemos, nunca, esquecer. Principalmente porque até já nos avisaram que virão mais anos iguais. O conhecimento é história e é útil: tem utilidade futura.


A pandemia de que tanto se fala, é realmente a que menos mal tem feito. O que se tem feito, justificado pela pandemia, é que realmente tem sido muito mau.


Falo, por exemplo, do desemprego, do qual sou só mais uma desconhecida vítima; falo dos milhares (milhões?) de casos de outras enfermidades que não foram diagnosticadas a tempo, ou de todo, gerando grande sofrimento e mortandade; falo da pobreza e da fome que aumentaram loucamente; falo das liberdades que se perderam. 


Como passamos agora muito mais tempo “online”, e através das redes de comunicação disponíveis mundialmente, temos descoberto escândalos atrás de escândalos, corrupções que antes estavam escondidas, mas cuja informação estava disponível só que não havia interessados, teorias de conspiração que afinal não são só teorias e, no geral, temos descoberto um futuro que parece já programado para nós mais do que um futuro que poderíamos construir. Descobrimos este ano que o planeta afinal está a sofrer uma enorme revolução na qual nem sequer participamos, apenas sofremos as consequências. 


Estando a viver numa área planetária de relativa abundância, que é a Europa, muitas vezes esquecemos a miséria que se vive nas outras zonas da Terra. Esta pandemia e as suas repercussões, mostra-nos que afinal a miséria pode surgir em larga escala, e repentinamente, até na velha Europa e em outras áreas ricas tais como na América do Norte. 


Como Cristão, este ano mais do que nos outros, tenho visto o cristianismo a sofrer ataques violentos, tanto físicos como políticos. Tudo tem sido feito para impedir a difusão e a prática da nossa forma de vida: de oração, de valores morais, de crenças.  Os cristãos, por outro lado, não se unem para proteger as suas crenças, pois todas as denominações estão convencidas que representam a Deus, que só elas sabem o que Deus quer. 

No fim de contas, todas “governam” Deus e parecem até retirar-Lhe os poderes que Lhe são típicos: omnipresença, omnipotência e omnisciência. Deus, que tudo sabe, tudo pode mudar, até o passado. Mas os Cristãos, e os crentes num só Deus, continuam a insistir que Deus tem de ser como eles dizem e não como É.

Deus disse: “Eu Sou O que Sou!” “אֶהְיֶה אֲשֶׁר אֶהְיֶה” Mas parece que todos não se agarram a isto e decidem que Deus é quem eles querem, e muitas vezes exigem, que seja. 

Muitos dos ateus e dos agnósticos, também sofrem ataques, e sofrerão, pois, apesar de afirmarem a sua descrença, viviam numa sociedade na qual já os valores morais e pacifistas Cristãos estavam instalados e dos quais desfrutavam. Tudo isto está a acabar e por isso também estes humanos sofrem como os outros. 

Muito fizeram para acabar com a influência dos valores Cristãos e agora sofrem e sofrerão as consequências: falta de moralidade, falta de controle da educação dos seus filhos e familiares, falta liberdade de pensar, falta de liberdade de expressão. Sim, porque a liberdade de expressão é, pela sua natureza, Cristã.


O racismo tem sido muito falado e todos os não racistas são acusados de o serem, por aqueles que realmente o são. A pandemia também tem dado muito poder a estes indivíduos, o qual contribui igualmente para a tal ´revolução´ que sofremos. Se nos opomos, ou somos presos, ou calados, ou multados. 




Como professor de Aikido, a minha profissão está interdita há meses. A prática pessoal parece algo egoísta, pois não se pode transmitir aos outros. Vendo a miséria em que tanta gente ficou pelas atuais circunstâncias, até me parece obsceno cobrar por ensinar “online” um ensino em que se recebe dinheiro mas que realmente não é decente, pois não há sequer a possibilidade de transmitir a técnica através do contacto físico e do olhar pessoal. Digo que não é decente, pois ninguém vai realmente aprender com este sistema. 

Há anos que existem milhares de vídeos online dos mais variados estilos de Aikido (e de outros Budo). Alguns vídeos até têm técnica muito correcta. Mas se isto não serviu para que todos melhorassem a sua técnica, como pode um professor, a centenas ou milhares de quilómetros de distância ensinar algo sem o contacto pessoal, sem  linguagem corporal. É um filme. Nada mais. E um filme só para quem pode pagar.


Este Natal acabou por ser, afinal, um Natal muito mais sentido do que os outros, pelos menos para o mundo “avançado”. 

O Natal é para celebrar o nascimento de Jesus, de Deus feito homem. Deus, que escolheu de todos os seres humanos disponíveis, Maria e José como actores principais deste grande evento. E Deus não faz nada ao acaso. O seu nascimento quase até parece ter sido durante uma crise pandémica como a que sofremos agora. Sem contactos sociais, sem parteiras, sem médicos, sem a ajuda de familiares, isolados, qual confinados, os membros desta família começaram uma mudança planetária.


Por todo o mundo os cristãos celebram este evento. Até os não crentes participam, mesmo nas formas abastardadas do evento, tais como nas celebrações ´natalícias´ como com o interessante Pai Natal, com a árvore de Natal, com a entrega de presentes, etc. 


Estará previsto também o impedimento desta importante celebração planetária? Tudo parece indicar que sim. 


Por esta razão, temos o dever de celebrar o Natal da forma mais pura, mais cristã possível: com amizade, com amor. Jesus disse: “Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como Eu vos amei. Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos.” Este ensinamento é profundo e bastante. Nele medito constantemente e neste Natal é o que desejo para todos: que leiam e meditem nisto.




sexta-feira, 27 de novembro de 2020

ESTÁGIO ONLINE COM WAKA SENSEI

 Estágio online com Waka Sensei.

Para quem estiver interessado, aqui está a informação: