sexta-feira, 11 de setembro de 2020

Atemi waza 2: morote dori zu ate, kokyu nage

 Esta técnica de zu ate (atemi com a cabeça), utilizará a parte lateral da cabeça ( a parte superior do osso parietal); é, portanto, um yoko zu ate.

- Tori e uke encontram-se frente a frente em gyaku hanmi. Uke está em migi hanmi e tori em hidari hanmi.

- Uke desloca-se para o tori ligeiramente fora da linha de ataque, agarra o seu braço esquerdo e torce-o.

- Tori não se opõe a este movimento e deixa o seu corpo girar para fora na direção do torcer.

- Tori estica o seu braço esquerdo e comprime-o contra o seu rabo.

- Tori agarra o seu pulso direito com a mão esquerda e comprime estes agarros contra o seu corpo.

- Tori dá um grande passo para trás com o seu pé direito, passando por debaixo dos braços do uke.

- Tori baixa as ancas profundamente e aplica, com a parte lateral da cabeça, uma pancada às costelas flutuantes do uke.

- Tori volta a colocar o seu tronco do lado de onde veio sem, contudo, retirar a perna de onde se encontra.

- Tori endireita o seu tronco, estende a barriga para fora, e roda as ancas num grande movimento, tendo o cuidado de não retirar os pés de onde se encontram.

- A rotação das ancas irá bloquear o direito do uke e este sofrerá uma grande pressão que o desequilibrará. 

- Uke cai para trás de tori e tori permanece em zanshin.

- Repetir para o lado contrário.


Dicas:
É com a mão do braço que está a ser torcido que devemos agarrar o nosso outro pulso. Se não agarrarmos o nosso pulso, o uke poderá ter uma oportunidade de puxar o braço para cima, com a intenção provocar uma luxação no cotovelo ou mesmo quebrá-lo. 
Ao rodar o corpo para fora quando tori nos torcer o braço, é importante rodá-lo para fora da linha de ataque pois este movimento, além de ser mais lógico, irá desequilibrar o parceiro.
Para se poder aplicar o atemi eficazmente, tori tem de baixar as ancas profundamente. Desta forma, não terá de se dobrar (o que iria enfraquecer a aplicação do atemi) e também tori ficará mais estável numa posição que é comprometedora por estar à frente do uke.
É essencial voltar a colocar o tronco do lado de fora do agarro, pois projectar o parceiro com o ombro por debaixo dele é praticamente impossível porque todo o peso do parceiro poderá ser colocado em cima do nosso ombro.
Para poder projectar com kokyu, esticar bem o estômago para fora e rodar as ancas amplamente. 



Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.



segunda-feira, 7 de setembro de 2020

Atemi waza 1: zu ate kokyu nage

Os kata de atemi waza foram codificados juntando várias técnicas de taijutsu existentes no aikido.

Muitas vezes os atemi são omitidos para nos podermos concentrar mais nos detalhes da técnica e/ou para economizar tempo de execução.

Saito sensei dizia que, no geral, existem pelo menos três possibilidades de executar atemi(s) em cada técnica. Contudo, muitos atemi são omitidos para se poder aumentar a rapidez de execução.

- Tori e uke encontram-se ambos em ai hanmi. Ambos estão em migi hanmi.

- Uke avança e agarra ambos os ombros de tori com o agarro ryokatadori.

- Tori rapidamente baixa as ancas e, com ambas as mãos, levanta bruscamente os braços do uke, pelos cotovelos.

- Tori repentinamente executa uma cabeçada com a testa (osso frontal do crânio) contra o plexo solar do uke.

- Antes que o uke consiga levantar o joelho para se defender, tori rapidamente desliza para trás com o pé esquerdo e ajoelha-se no joelho esquerdo, saindo ligeiramente fora da linha de ataque para a direita.

- Tori faz uma rotação das ancas para o lado esquerdo e projeta o uke, enviando o seu ombro direito para baixo e para a frente do uke, e "empurra o esquerdo por cima da sua orelha" [kuden].



Dica:
Ás vezes o agarro do uke é muito forte e é difícil tirar. Neste caso, aplica-se um atemi em cada cotovelo do uke, por debaixo (um tipo de haito uchi ou tetsu uchi ao contrário), com a parte de cima dos punhos fechados. De seguida agarram-se as mãos do uke e rodam-se para dentro até o uke largar. Rapidamente levantar os seus braços e deslizar as nossas mãos para baixo até agarrar os cotovelos do uke, para impedir que este os feche e bata nos lados da nossa cabeça, quando entrarmos para o atemi. Então, aplicar o zu ate ao plexo solar.


Vocabulário
Ryokatadori: agarrar os ombros com ambas as mãos.
Ryo: dois
Kata: ombro(s)
Dori/tori: agarrar

Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.


quarta-feira, 2 de setembro de 2020

Novos yudansha da Associação Portuguesa Aikishurendojo, em Estremoz

 No dia 19 de Setembro deste ano, foram examinados para shodan António Painha e Ricardo Brites. Estes dois praticantes começaram a prática há mais de 3 anos e têm evoluído  muito através da sua prática assídua.

O seu exame correu suavemente, sem problemas nem dificuldades, apesar de ter havido um periodo de paragem forçada, por causa da pandemia.

Também o Nuno Sousa passou para nidan, depois de um exame exemplar e muito fluido.

Estes três praticantes estão de parabéns. A dedicação ao treino destes 3 alunos teve muitos bons resultados e por isso é realmente um prazer para mim pronunciar as novas graduações dos mesmos.

Ganbatte! - continuem a perseverar! - como dizem os japoneses.



Na fila da frente da esquerda a direita, Ricardo Brites, Nuno Sousa, Tristão da Cunha e António Painha.


quinta-feira, 20 de agosto de 2020

MANJI NO KATA - SHURIKENJUTSU, POR MONICA SOUSA, 5º DAN

Em Portugal, muitos dos exames de Kyu e de Dan incluem também a apresentação de técnicas de shuriken.
O grande mestre Morihiro Saito era perito na arte de atirar shuriken e ensinou centenas de pessoas que acudiam ao dojo de Ibaraki para aprenderem com ele esta arte. Por esta razão, e para não se perder esta arte de Saito sensei, em Portugal foi decidido inclui-la nos exames.
O ensino do shuriken deve ser oral e de professor para aluno. 
As explicações para estas técnicas não serão dadas por esta via.
Para poder aprender, pedir ao professor credenciado para tal, e seguir rigorosamente as suas explicações.
Como para todo o tipo de exercícios ou artes, o treino contínuo é um requerimento para se chegar à excelência.
Neste vídeo, a mestre Mónica Sousa, godan, demonstra a base, desde a primeira e segunda distância.



Vocabulário:
Shuriken:
  • Shu: mão
  • Ri: dentro
  • Ken: sabre, lâmina
Ou seja: A lâmina dentro da mão
Jutsu: técnica, arte, habilidade
Shurikenjutsu: a arte de atirar shuriken





Demonstração por: Mestre Mónica Nunes de Sousa, Godan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.


 

segunda-feira, 17 de agosto de 2020

Tachi Waza Shomen Uchi dai gokyo

 Tal como para suwari waza, a forma gokyo em tachi waza deve ser sempre ura.

- Uke e tori encontram-se de pé, frente a frente em ai hanmi. Uke e tori estão na posição de hidari hanmi.

- Tori dá um passo para a frente, colocando o seu pé direito em frente ao pé esquerdo do uke e, ao mesmo tempo, ataca a cara do uke com o seu tegatana esquerdo. Sem esperar, deve agarrar o cotovelo esquerdo do uke por debaixo, com a sua mão direita.

- Tori utiliza a oposição que o uke fez com a sua defesa e usa o seu tegatana para cortar essa força para trás, desequilibrando o uke para a frente. 

- Tori aproveita o desequilibrio do uke, roda a mão esquerda colocando-a de palma para cima e agarra o pulso o uke.

- Tori desequilibra o uke empurrando-o tal como fez para ikkyo ura waza, num movimento espiral amplo, até o uke cair no chão.

-Tori controla o braço do uke colocando o joelho dentro da axila do uke e deixando o joelho esquerdo em cima, usando a posição hidari tachi hiza.

- O braço do uke deve ficar com o pulso contra o interior da perna, próximo do joelho e tori deve comprimir o seu cotovelo com a mão direita.

- Tori ao controlar a mão com o agarro nikyo, comprime o cotovelo do uke e inclina-se para a frente parando quando o uke responder, batendo contra o tatami com dor.

Repetir do outro lado.

Dicas: rever as dicas para a mesma técnica executada em suwari waza.

Como esta técnica pode ser facilmente aplicada ao goshinjutsu, o tori só deve deixar de controlar o uke depois de se levantar. Ao levantar-se deve sair do local na linha da cabeça do uke, para trás, com zanshin.

Existem várias formas de controlar o braço do uke quando este se encontra no chão. Pedir ao professor para ensinar as diferentes formas.


Vocabulário:

Gokyo: quinto ensinamento

Goshinjutsu: técnicas de defesa pessoal

Tachi hiza: quando o praticante tem um joelho no solo e o outro em pé



Tori: Nuno Brito Tavares Vilaça de Sousa, shodan
Uke: Ricardo Manuel Raimundo Brites, 5 kyu
Filmagens: Tristão da Cunha

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

Suwari Waza Shomen Uchi Dai Gokyo

 Gokyo é normalmente uma forma ura. Para qualquer exame que seja, de kyu ou de dan, o gokyo exigido é a forma ura waza. Omote waza gokyo é considerada uma forma arriscada de executar a técnica, pois o atacante tem oportunidade de contra atacar, caso haja aberturas na técnica.


Uke e tori encontram-se sentados em seiza, frente a frente, tal como para executar ikkyo ura waza.

- Tori ataca a cara do uke com com a sua mão direita. 

- Uke defende com a sua mão direita.

- Tori usa o seu tegatana para desequilibrar o uke para a frente e depois agarra o pulso do uke num agarro contrário ao ikkyo, ou seja com a palma para cima.

- Logo que o uke se desequilibre para a frente, o tori deve abrir o seu joelho direito para trás e empurrar, num movimento espiral para baixo, o braço do uke.
- Tori controla o braço do uke contra o tatami, colocando-o a 90º com o seu corpo.
 Repetir para o outro lado.



Dicas:

Tal como para ikkyo ura waza, há três pontos importantes que se devem ter em conta ao começar:

  1. atacar a cara do uke com o tegatana,
  2. desviar o ataque para trás,
  3. agarrar o cotovelo do uke, por debaixo e
  4. juntar joelho com joelho.
Estes 4 pontos devem ser feitos ao mesmo tempo.
O agarro do pulso do uke deve ser feito com "o polegar agarrando o interior do pulso do uke" ao passo que no ikkyo, "o polegar deve agarrar o exterior do pulso do uke", [kuden].


Tori: Nuno Brito Tavares Vilaça de Sousa, shodan
Uke: Ricardo Manuel Raimundo Brites, 5 kyu
Filmagens: Tristão da Cunha

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

segunda-feira, 3 de agosto de 2020

Suwari waza shomen uchi dai yonkyo ura waza


Tori e uke encontram-se sentados em seiza, frente a frente.

- Tori ataca a cara do uke com o seu tegatana direito.
- Uke responde confrontando o ataque com a sua mão direita, também.
- Ao mesmo tempo que tori ataca a cara do uke, controla o seu cotovelo agarrando-o por debaixo e avança o seu joelho esquerdo, colocando-o em frente ao joelho direito do uke.
- Com este movimento, tori imediatamente desequilibra o uke, cortando o seu braço para a sua frente e para baixo.
- Tori agarra o pulso do uke com a sua mão direita.
- Tori continua o seu movimento para fora e para a direita, cortando o braço do uke para baixo e para fora, num grande movimento em espiral.
- Enquanto o uke está desequilibrado, tori aproveita e retira a mão que agarra o cotovelo e coloca-a por debaixo do pulso do uke, agarrando com o agarro yonkyo.
- Tori torce a mão do uke para cima e para a esquerda e logo de seguida corta para baixo com um grande movimento espiral e para a direita. 
- Quando o uke cai no tatami, tori continua a aplicar pressão sobre o osso do antebraço do uke, até este responder à dor, batendo contra o tatami.

- Repetir do outro lado.

Dicas:
  • Como a técnica a executar é uma técnica 'ura', a distância entre os joelhos de cada praticante deveria ser maior do que para omote. No geral, esta distância para 'ura waza' seria de dois palmos da pessoa que irá executar a técnica.
  • Os movimentos de atacar, desequilibrar o parceiro para a frente, agarrar o cotovelo por debaixo e juntar o joelho esquerdo ao joelho direito do uke, devem ser feitos de uma só vez.
  • O movimento de agarrar no pulso, com o agarro yonkyo, no uke pode ser feito enquanto o uke está a ser desequilibrado ou também enquanto se dobra o seu cotovelo para baixo, tal como em omote (duas formas).
  • O agarro do yonkyo ura é diferente do yonkyo omote, pois a base do dedo indicador deverá pressionar o cúbito por fora, em vez de em cima.
  • Para poder agarrar correctamente Morihiro Saito sensei escreveu no seu livro Takemusu Aikido volume I: O'Sensei disse: 'Aplicar o yonkyo depois de torcer e levantar o braço como seu fosse para sankyo' (Kuden).
  • Tentar agarrar de imediato na posição correta e não deixar de agarrar e pressionar até o uke responder batendo contra o tatami; mesmo quando não haja a certeza de que a dor esteja a ser aplicada, o tori nunca deve deixar de agarrar para "ajustar" o agarro, pois nesta altura o uke poderá facilmente fugir.
  • Tal como para yonkyo omote, existem duas formas de terminar: com o joelho esquerdo por cima do ombro ou com o joelho esquerdo enfiado profundamente dentro da axila direita do uke.


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.