quinta-feira, 28 de maio de 2020

Tachi waza kata dori dai ikkyo omote

Uke e tori estão de pé, frente a frente, em gyaku hanmi. Tori está em hidari hanmi e uke está em migi hanmi.


- Uke aproxima-se de tori e agarra o seu ombro com a mão direita.

- Tori sai fora da linha de ataque para a esquerda, com um grande movimento do pé esquerdo. O pé direito acompanha o movimento e, no final deste primeiro movimento, fica a apontar para o uke.

- Tori aplica um atemi com a mão direita, à cara do uke.

- Tori, com a mão do atemi, agarra a mão do uke, baixa ainda mais as ancas e avança para a frente do uke com o pé direito, seguido do esquerdo.

- Ao mesmo tempo que se desloca para a frente do uke, tori deve usar o tegatana da sua mão esquerda para empurrar o cotovelo do uke um pouco para cima e depois agarrar este cotovelo e cortar para baixo em espiral.

- Tori trás o braço do uke para baixo, desequilibrando-o com um movimento amplo em espiral. no final deste movimento, a mão esquerda de tori, que agarra o seu cotovelo direito, está na linha do umbigo de tori.

- Quando o uke é desequilibrado pelo tori, o agarro da mão do uke é igual ao agarro do nikyo; contudo, não deve haver a pressão nikyo.

- Tori dá um grande passo com o pé esquerdo por debaixo do uke e ao mesmo tempo empurra o seu braço com um movimento semelhante ao kaeshizuki do jo.

- Tori ajoelha-se, ao lado do uke, com o seu joelho dentro da axila direita do uke e o outro a controlar o seu pulso direito. 

- Não esquecer que a posição final é kiza.

- Nunca esquecer de dar vida à técnica com kiai.

Repetir do outro lado.


Dicas
Mal o uke agarre o ombro, a sua ideia é desequilibrar o tori para a frente e assim dominá-lo. Contudo, tori deve baixar as ancas, carregar o seu ombro com ki forte através do kokyu ryuoku e colocar-se com o seu peito paralelo ao braço do uke. Este ponto é muito importante, pois se o peito do tori não tocar no braço direito do uke, duas coisas podem acontecer: 
  1.  uke pode puxar o uke e 
  2.  tori não poderá alcançar a cara do uke com o atemi

Ao avançar para a frente do uke, tori deve fazer um grande movimento e nunca esquecer de acompanhar este movimento com o pé de trás; o pé de trás ficará mais ou menos na linha do pé da frente do uke.
Quando o uke desequilibra o tori para baixo, deve verificar que o seu cotovelo e a palma da sua mão estejam a apontar para baixo e para a frente, poi se tiverem para cima, o uke poderá fugir.
Só dar o passo por debaixo do uke para o controlo final contra o tatami, quando o uke estiver com a sua mão livre no chão: isto quer dizer que está desequilibrado e que precisa do apoio da mão para não cair.





Kaeshi tsuki: o segundo suburi do aiki jo (espetar com a mão torcida)
Kokyu ryoku: o poder adquirido através da respiração


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: António Miguel Serra, 5º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.


Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

quinta-feira, 21 de maio de 2020

Suwari waza kata dori dai nikyo ura

Kata dori dai nikyo ura talvez seja a técnica com que mais facilmente se pode aplicar o nikyo em alguém.

Uke e tori encontram-se em seiza, frente a frente, com a mesma distância requerida para as técnicas anteriores.

-Uke agarra o ombro esquerdo do tori, com a sua mão direita.

-Tori sai fora da linha de ataque para a esquerda e aplica um atemi à cara do uke, com a sua mão direita.

-Uke defende o atemi com a sua mão esquerda, desviando-o para fora.

-Tori, com a mão direita, agarra a mão do uke por cima, tal como fez para as técnicas anteriores.

-Tori abre o seu corpo, rodando para a direita.

-Ao mesmo tempo que agarra a mão do uke por cima e roda o seu corpo, tori deve agarrar o pulso do uke por debaixo, com a sua mão esquerda e rodá-lo também um pouco para a direita e para baixo.

- Tori gira as suas ancas e ombros e aplica a pressão nikyo, tal como foi descrita anteriormente.

-Tori, sempre mantendo a pressão no pulso com a sua mão direita, deve usar o tegatana esquerdo colocando-o por debaixo do cotovelo direito do uke e forçar o cotovelo para baixo num movimento rotativo amplo mas firme.

-Tori termina com a imobilização nikyo.

- Executar a técnica no outro lado.

Dicas: Depois de aplicar o atemi, se o braço do parceiro é longo ou muito forte, tori pode usar a sua mão direita, para pressionar o braço direito do uke um pouco para baixo e um pouco para fora, para desequilibrá-lo e assim afastar a sua mente de uma possível resistência à técnica.

Ao rodar, não esquecer de colocar o joelho esquerdo em frente ao joelho do parceiro, para ter um bom ponto de pivot.

Tori deve estar preparado para resistência da parte do uke e assim ajustar a técnica em conformidade.

Existem várias variações do nikyo. Devemos ter o cuidado de aplicar as mesmas quando a nossa técnica sofrer resistência da parte do uke.

Embora doa muito, é um erro aplicar o nikyo ura com o cotovelo por cima do cotovelo do parceiro, pois isto cria uma abertura que permite ao uke criar uma contra técnica [kaeshi waza]


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.

Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.



segunda-feira, 18 de maio de 2020

Suwari waza kata dori dai nikyo omote

A diferença entre o nikyo omote de kata dori e de katate dori é muito pouca. Contudo, desde o ataque de kata dori, o nikyo pode ser executado mais rapidamente.

Uke e tori encontram-se em seiza, frente a frente como o exigido para as técnicas anteriores.

-Uke agarra o ombro esquerdo do tori, com a sua mão direita.

-Tori sai fora da linha de ataque tal como fez para as técnicas anteriores, aplicando um atemi à cara do uke, com a sua mão direita.

-Uke defende-se do atemi com a sua mão esquerda, empurrando-o para fora.

-Tori agarra a mão do uke por cima, com a sua mão direita.

-Tori enche o seu ombro com ki forte, desloca o seu joelho direito para a frente do uke, ao mesmo tempo que dobra o cotovelo do uke para cima e o seu pulso para baixo, comprimindo um contra o outro com a força do ombro e com a mão direita.

-Tori dá um grande passo com o pé esquerdo por debaixo do uke, ao mesmo tempo que aplica a pressão contra o seu pulso.

-Sem relaxar o agarro nem tirar a mão do uke do seu ombro, tori comprime o ombro do uke para baixo, ao mesmo tempo que coloca o joelho esquerdo no chão.

-Sem perder tempo, tori desloca o joelho direito para a frente da cabeça do uke e acaba a técnica, aplicando a imobilização nikyo, tal como foi feita anteriormente.

Repetir do outro lado.

Dicas: é muito importante não tirar a mão do uke do ombro; dever-se-á mantê-la sempre bem comprimida contra o peito.



Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.

Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

quinta-feira, 14 de maio de 2020

Suwari waza kata dori dai ikkyo ura

Tori e uke encontram-se sentados em seiza, frente a frente, com a distância adequada para a execução desta técnica.

- Uke agarra, com a sua mão direita, o ombro esquerdo de tori.

- Tori sai fora da linha de ataque para a esquerda e aplica um atemi à cara do uke, tal como fez na técnica omote.

- Tori agarra a mão direita de uke por cima e, num movimento amplo, retira a mão do uke do seu ombro, libertando-se do agarro.

- Tori junta o seu joelho esquerdo ao joelho direito de uke, abre o seu corpo para a direita, empurrando o braço do uke nesse sentido, com ambas as mãos, tal como fez para katate dori ikkyo ura.

- Tori coloca o braço do uke no tatami a 90º com o seu corpo, imobilizando-o desta forma.

Dicas: nunca esquecer de empurrar sempre com ambas as mãos, mantendo sempre os braços esticados até ao final da técnica.











Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

terça-feira, 12 de maio de 2020

Suwari waza kata dori dai ikkyo omote

Suwari waza kata dori dai ikkyo omote, é muito parecido com a mesma forma desde o ataque de katate dori.

- Tori e uke encontram-se frente a frente, em seiza, com a mesma distância das técnicas anteriores de katate dori.

- Uke agarra firmemente o ombro esquerdo do tori, com a sua mão direita.

- Tori enche-se de ki e, logo que o uke agarre o seu ombro, sai fora da linha de ataque, para o lado esquerdo deslocando-se com shikko, e aplica um atemi à cara do uke com a sua mão direita.

- Uke desvia o atemi de tori com a sua mão esquerda.

- A mão que é desviada pelo uke, rapidamente agarra a mão direita do uke.

- Tori desloca o seu joelho direito para a frente do uke (para o seu omote), ao mesmo tempo que empurra o seu ombro esquerdo nessa direção e empurra o cotovelo do uke com o seu tegatana esquerdo, de baixo para cima e para a frente.

- Tori, com um movimento rápido, estica bem os braços para a frente, empurrando o braço direito do uke para a frente e um pouco em espiral para fora retirando, desta forma, a mão do uke do seu ombro.

- Tori, sempre com os braços esticados, dá um grande passo por debaixo do uke com o seu pé esquerdo.

-Tori empurra o braço do uke para baixo contra o tatami, ajoelhando o joelho esquerdo dentro da axila do parceiro [ter cuidado com os peitos das senhoras nesta altura], ajusta o braço do parceiro até ficar a 90º com o seu corpo e ajusta o joelho direito de forma a controlar o seu pulso com o mesmo.

- Tori termina a técnica, como em todas as técnicas, com kiai forte e mantém o estado de alerta.

Dicas: quando sair fora da linha de ataque, verificar que o nosso peito esteja a tocar o antebraço e o braço do parceiro; desta forma, o parceiro ficará bem desequilibrado e não poderá puxar o ombro do tori para baixo.
Se o uke tiver um braço forte ou muito comprido, a mão do atemi pode também deslizar pelo braço direito do uke, na direção da sua mão direita, desequilibrando-o através de uma pressão para fora e para baixo.
Ao sair fora da linha de ataque, não esquecer de esticar bem o braço de fora, do lado em que é agarrado e de manter os dedos das mãos bem separados, cheios de Ki.
Ao deslizar para a frente do parceiro com o joelho direito, colocar kokyu no ombro que é agarrado e empurrá-lo para a frente, na direção da cabeça do uke.
Não esquecer de manter sempre os braços esticados e de manter uma pressão constante para a frente, nunca deixando o uke retroceder sequer um pouco.




Kata: ombro


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

segunda-feira, 11 de maio de 2020

Suwari waza katate dori dai nikyo ura

Tori e uke estão frente a frente em seiza, com a distância apropriada.

- Tori oferece a sua mão esquerda.

- Uke agarra o pulso esquerdo de tori com a sua mão direita.

- Tori sai fora da linha de ataque como para ikkyo omote ou ura e aplica atemi à cara do uke, com a sua mão direita.

- Uke defende do atemi com a sua mão esquerda, desviando-o para fora para o lado direito.

- Tori agarra a mão direita de uke por cima, como para ikkyo omote ou ura.

- Tori rapidamente coloca o seu joelho esquerdo junto do joelho direito do uke e gira o seu corpo para trás, abrindo e alinhando-se lado a lado com o uke.

- Ao mesmo tempo que tori gira o corpo, deve trazer o pulso do uke para o seu ombro.

- O agarro do pulso do uke deve ser por debaixo, com a sua mão esquerda.

- Tori, comprimindo a mão do uke contra a base do seu ombro esquerdo, gira as ancas e os ombros na direção do uke, dobrando assim o seu cotovelo para fora.

- Tori inclina-se na direção da cabeça do uke e aplica pressão sobre o pulso direito do uke.

- Tori, sem desconectar a mão do uke da posição em que se encontra (e sempre aplicando a pressão do nikyo), coloca o seu tegatana esquerdo por debaixo do cotovelo do uke e gira o seu corpo para fora.

- Tori, ao rodar para trás, faz pressão no cotovelo do uke para baixo e força-o contra o tatami, junto do seu joelho esquerdo.

- Tori ajusta o joelho direito, colocando-o frente à cabeça do uke.

- Tori muda de agarro, completando a imobilização, tal como fez para as outras formas do nikyo omote ou ura.

 Repetir para o lado contrário.

Dicas: é importante que, ao aplicar a pressão sobre o pulso do uke, tori não deixe a base do seu polegar "descolar" do seu peito, pois assim uke poderá retirar a mão.
Ao rodar o uke para fora, depois de aplicar a pressão dolorosa, o tegatana deve estar por debaixo do cotovelo do uke e a pressão deve ser primeiro de baixo para cima e depois para fora e para baixo, num movimento em espiral.
Na imobilização final, não esquecer de que um joelho deve estar bem comprimido junto à axila do uke e o outro em frente à sua cabeça. Depois, deve comprimir um joelho contra o outro, comprimindo desta forma a cabeça do uke, imobilizando-o completamente.
Na técnica real, ao trazer o uke para baixo, o uke deve ficar enfiado directamente entre os dois joelhos, contudo, esta forma é muito severa para o parceiro e por isso, durante a prática, deixamos ao uke um pouco de espaço para se ajustar, sem se magoar. Mesmo assim, não devemos deixar aberturas que o uke possa aproveitar para escapar.


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.





sexta-feira, 8 de maio de 2020

Suwari waza katate dori dai nikyo omote 2

Esta forma de nikyo omote é mais dolorosa do que a anterior. Os praticantes poderão escolher uma ou outra para os seus exames.

Uke e tori estão frente a frente, em seiza.

-Tori oferece a sua mão esquerda.

-Uke agarra o pulso esquerdo do tori com a sua mão direita.

- Tori sai fora da linha de ataque e aplica um atemi à cara do uke.

-Uke defende com a sua mão esquerda e desvia o atemi para fora.

-Tori sai for da linha de ataque, agarra a mão do uke, tal como fez na técnica do nikyo omote 1.

-Tori encosta a mão do uke ao seu ombro, de forma a que os dedos da mão do uke fiquem a apontar para cima, agarra o braço do uke logo abaixo do cotovelo com a sua mão esquerda e pressiona o braço contra o seu peito, dobrando o cotovelo do uke para cima e o seu pulso para baixo, provocando uma grande dor.

-Tori, mantendo esta dor no braço do uke, dá um grande passo para a frente e por debaixo do uke, com o seu pé esquerdo.

- O uke não se pode esquecer de bater no tatami para avisar o tori do limite da dor.

-Tori assenta o joelho esquerdo no tatami ao mesmo tempo que pressiona o ombro do uke para baixo; o joelho deve assentar mesmo dentro da axila do direita do uke.

-Tori imobiliza o uke, com a imobilização do nikyo, já anteriormente descrita.

- Repetir para o outro lado.

Dicas: Ao dobrar o cotovelo do uke para cima, os dedos, o cotovelo e o seu ombro, têm de estar todos alinhados com a cabeça; desta forma a dor aplicada será constante.
É importante manter sempre o controle da mão do uke, na imobilização final, até que todo o seu braço esteja bem imobilizado.
Nunca é demais avisar para ter cuidado com os peitos das senhoras, na altura da imobilização final (em especial nikyo, sankyo, yonkyo e kote gaeshi).


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.