segunda-feira, 3 de agosto de 2020

Suwari waza shomen uchi dai yonkyo ura waza


Tori e uke encontram-se sentados em seiza, frente a frente.

- Tori ataca a cara do uke com o seu tegatana direito.
- Uke responde confrontando o ataque com a sua mão direita, também.
- Ao mesmo tempo que tori ataca a cara do uke, controla o seu cotovelo agarrando-o por debaixo e avança o seu joelho esquerdo, colocando-o em frente ao joelho direito do uke.
- Com este movimento, tori imediatamente desequilibra o uke, cortando o seu braço para a sua frente e para baixo.
- Tori agarra o pulso do uke com a sua mão direita.
- Tori continua o seu movimento para fora e para a direita, cortando o braço do uke para baixo e para fora, num grande movimento em espiral.
- Enquanto o uke está desequilibrado, tori aproveita e retira a mão que agarra o cotovelo e coloca-a por debaixo do pulso do uke, agarrando com o agarro yonkyo.
- Tori torce a mão do uke para cima e para a esquerda e logo de seguida corta para baixo com um grande movimento espiral e para a direita. 
- Quando o uke cai no tatami, tori continua a aplicar pressão sobre o osso do antebraço do uke, até este responder à dor, batendo contra o tatami.

- Repetir do outro lado.

Dicas:
  • Como a técnica a executar é uma técnica 'ura', a distância entre os joelhos de cada praticante deveria ser maior do que para omote. No geral, esta distância para 'ura waza' seria de dois palmos da pessoa que irá executar a técnica.
  • Os movimentos de atacar, desequilibrar o parceiro para a frente, agarrar o cotovelo por debaixo e juntar o joelho esquerdo ao joelho direito do uke, devem ser feitos de uma só vez.
  • O movimento de agarrar no pulso, com o agarro yonkyo, no uke pode ser feito enquanto o uke está a ser desequilibrado ou também enquanto se dobra o seu cotovelo para baixo, tal como em omote (duas formas).
  • O agarro do yonkyo ura é diferente do yonkyo omote, pois a base do dedo indicador deverá pressionar o cúbito por fora, em vez de em cima.
  • Para poder agarrar correctamente Morihiro Saito sensei escreveu no seu livro Takemusu Aikido volume I: O'Sensei disse: 'Aplicar o yonkyo depois de torcer e levantar o braço como seu fosse para sankyo' (Kuden).
  • Tentar agarrar de imediato na posição correta e não deixar de agarrar e pressionar até o uke responder batendo contra o tatami; mesmo quando não haja a certeza de que a dor esteja a ser aplicada, o tori nunca deve deixar de agarrar para "ajustar" o agarro, pois nesta altura o uke poderá facilmente fugir.
  • Tal como para yonkyo omote, existem duas formas de terminar: com o joelho esquerdo por cima do ombro ou com o joelho esquerdo enfiado profundamente dentro da axila direita do uke.


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Suwari waza shomen uchi dai yonkyo omote

Shomen uchi dai yonkyo omote é muito parecido ao dai ikkyo omote.
Outro nome para o yonkyo é "tekubi osae" [control do pulso].

- Tori e uke encontram-se em seiza, frente a frente.
- Tori ataca a cara do uke tal com fez para ikkyo omote, com a sua tegatana esquerda e sai fora da linha de ataque para o lado esquerdo usando o deslocamento, shikko.
- Uke defende com o seu tegatana esquerdo.
- Depois de sair fora da linha de ataque e desequilibrar o uke, tori dá um passo por debaixo do uke, tal como fez para o ikkyo omote, com o pé direito.
- Tori pousa o joelho direito no tatami.
- Uke resiste um pouco e não vai logo contra o tatami, tal como fez no ikkyo omote.
- Tori então dobra o cotovelo esquerdo do uke, virando a ponta do cotovelo para o tatami.
- Tori imediatamente, enquanto o uke está desequilibrado, agarra o pulso do uke por cima.
- Antes que o uke reaja, tori levanta ligeiramente o cotovelo do uke, já com as duas mãos a agarrar o pulso e a mão, e dá um passo para a frente, 'cortando' o cotovelo para baixo e para a frente.
- Uke desequilibra-se para a frente e cai.
- Tori coloca o joelho direito dentro da axila do uke ou por cima do seu braço, controlando-o.
- Tori continua a aplicar a pressão yonkyo até o uke responder à dor e bater contra o tatami.
- Repetir para o outro lado.


Dicas: É importante saber agarrar correctamente em yonkyo omote e em yonkyo ura. Para agarrar e aplicar a pressão do yonkyo omote, tori deve esticar o dedo indicador e pressionar a base do dedo contra o centro do pulso do uke; esta pressão deve ser profunda e contínua.
A pressão deve ser aplicada rápidamente, mal o uke se desequilibre para a frente e para baixo.
Ao fazer o control final, tori deve verificar que o braço do uke esteja a 90º com o seu tronco, tal como para o ikkyo omote e ura.

Kuden:
No livro "Traditional Aikido" Volume 3, pag. 61, Morihiro Saito Shihan escreveu:
"Então, aplicar uma grande pressão usando o poder das ancas."

No livro "Takemusu Aikido",  pg. 158, Morihiro Saito Shihan escreveu:
"O yonkyo será ineficaz a não ser que desequilibremos completamente o parceiro. O'Sensei disse: "Aplicar pressão com a base do dedo indicador à area por cima do cúbito do antebraço do parceiro."



Vocabulário
Tekubi: pulso
Osae: controlar


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

segunda-feira, 6 de julho de 2020

TREINO ONLINE


Atenção: o email para este treino é apasd.estagios@gmail.com 

Assunto: Organização e procedimentos para o ingresso e frequência do Treino On line dado por Mestre Tristão Da Cunha
Na sequência da realização do Treino online, no dia 12 de julho de 2020, através da plataforma online Zoom, vimos informar acerca dos procedimentos para ingresso e frequência do mesmo.
  • Deverá aceder ao evento, cerca de 30 minutos antes da hora prevista de início, que será às 18h;
  • O link de acesso ao Treino é o seguinte: https://us02web.zoom.us/j/8736800427:
  • Em alternativa podem instalar o Zoom quer no PC, tablet ou telemóvel. O ID é o seguinte: 873 680 0427;
  • Os praticantes deveram manter o microfone desligado e só ligar se for pedido;
  • Os praticantes poderão manter o vídeo ligado;
  • Em caso de dois praticantes ou mais se juntarem todos deveram ter feito o pagamento;
  • Inscrição: Cada praticante deverá comunicar as suas informações pessoais ( nome, graduação , dojo) e o comprovativo de transferência e enviar para o email: apasd.estagios@gmail.com até dia 8/07/2020;
  • Cuidados E Material: A temática do estágio será Bokken, o praticante deverá ter consigo um Bokken, se não tiver deverá contactar o seu instrutor a tentar encontrar uma solução;É recomendado uma sala ampla com um pé direito alto, assim evitando a danificação do espaço ou das armas;
  • PAGAMENTO
  • O valor do treino será de 10 euros, esses deveram ser transferidos para a conta com o nib: PT50 0010 0000 0251 01100 0296. Deverá ser feito o pagamento até dia 8/07/2020 a cabo de ser possível verificar;
-------------------------------------
English
Subject: Organization and procedures for entering and attending the Online Training given by Mestre Tristão Da Cunha
Following the online training, on July 12, 2020, through the Zoom online platform, we would like to inform you about the procedures for admission and frequency.
You must access the event, approximately 30 minutes before the estimated start time, which will be at 6 pm;
The link to access the Training is as follows: https://us02web.zoom.us/j/8736800427:
Alternatively, you can install Zoom on your PC, tablet or mobile phone. The ID is as follows: 873 680 0427;
Practitioners should keep the microphone off and only turn on if asked;
Practitioners will be able to keep the video on;
In the event that two practitioners or more join, all must have made the payment; Registration: Each practitioner must communicate their personal information (name, graduation, dojo) and proof of transfer and send to the email: apasd.estagios@gmail.com until day 8/07/2020;
Care and Material: The theme of the internship will be Bokken, the practitioner should have a Bokken with him/her, if not, he should contact his instructor trying to find a solution; a large room with a high ceiling is recommended, as well avoiding damage to space or weapons;
PAYMENT
The value of the training will be 10 euros, these should be transferred to the account with the nib: PT50 0010 0000 0251 01100 0296. The payment must be made until 07/08/2020 in order to be able to verify;
For non-portuguese practitioners,
IBAN - Número Internacional de Conta Bancária (International Bank Account)
PT50 0010 0000 0251 0110 0029 6
SWIFT/BIC BBPIPTPL

terça-feira, 30 de junho de 2020

ESTÁGIO INTERNACIONAL EM CECÍLIA - ITÁLIA 2020

Do dia 3 ao dia 4 de outubro deste ano, haverá um estágio internacional comemorativo, em honra de Tittarelli Shihan, dirigido por Tristão da Cunha shihan.


Em baixo colocamos as informações, em Italiano.

Aikido Dentō Iwama Ryu Italia International Koshukai
2° Memorial Alessandro Tittarelli Maestro:
Tristão Da Cunha Shihan
8° Dan Aikido Dentō Iwama Ryu
Indirizzo Dojo:
Palazzetto dello Sport “Palarizza” Via Modica Giarratana, 97015 Modica (RG) Italia.
https://goo.gl/maps/ZXVYhDtPs7AXf84C9
Orario delle lezioni:
Venerdì, 2 Ottobre 2020 18:00 - 19:00 Special Keiko
Sabato, 3 Ottobre 2020
08:00 - 09:00 Registrazione presso il Palazzetto
09:30 - 10:45 I° Keiko
11:00 - 12:15 II° Keiko
16:00 - 17:15 III° Keiko
17:30 - 18:45 IV° Keiko
20:30 - Party (il luogo del party sarà comunicato a breve)
Domenica, 4 Ottobre 2020
09:30 - 10:45 V° Keiko
11:00 - 12:15 VI° Keiko
12:30 Cerimonia spirituale e passaggio incarico. Fine Koshukai.
Il Koshukai è aperto ai praticanti di qualsiasi Organizzazione, Associazione od Ente Promozionale purchè in regola con il Tesseramento che ne garantisce il possesso di adeguata assicurazione per la pratica dell’Aikido. La Hakama può essere indossata solo dai gradi Dan.
Munirsi di Jo-Ken-Tanken.
Il programma potrebbe subire variazioni.
Ai partecipanti verrà rilasciato un PASS di ingresso al Dojo unitamente all’ingresso del party.
Quota di Partecipazione:
Intero Koshukai: € 60,00
Giornata di Sabato 3 Ottobre: € 40,00 Giornata di Domenica 4 Ottobre: € 30,00
     
 Special Keiko € 10,00
Il costo del Party sarà comunicato a breve
Hotel Convenzionati
Hotel Torre Del Sud
https://torredelsud.it/
- € 50.00 la camera singola al giorno;
- € 60.00 la camera doppia/matrimoniale al giorno;
- € 90.00 la camera Tripla al giorno;
- € 120.00 la camera quadrupla al giorno.
Nella tariffa della camera sono inclusi i seguenti servizi:
- colazione internazinale a buffet;
- parcheggio interno ed esterno custodito;
- connessione internet wi fi in tutta la struttura.
Nella tariffa della camera è esclusa la tassa di soggiorno di € 2.00 a persona a notte.La prima colazione compresa.
Distanza dal Dojo 11 km (16 minuti in auto)
Hotel Principe D’Aragona
http://www.hotelprincipedaragona.it/
Euro 50,00 singola
Euro 80,00 matrimoniale o doppia
Euro 105,00 tripla
Euro 120,00 quadrupla
Euro 15,00 supplemento pasto
Le tariffe si intendono a camera a notte, includono la prima colazione ed
escludono la tassa di soggiorno pari ad Euro 2,00 per persona a notte.
 
 Distanza dal dojo 5,9 km (8 minuti in auto)
Può essere effettuato servizio navetta da organizzare in base alla richiesta.

Tachi waza muna dori kote gaeshi

Muna dori kote gaeshi é uma técnica muito básica, mas que se situa entre o kihon e o ki no nagare, pois, embora se possa executar passo a passo, uma vez captados os ângulos, rapidamente se torna uma técnica fluida, logo, ki no nagare.
Esta técnica também pode ser executada quando o parceiro consegue agarrar firmemente o peito do tori, embora a forma mude ligeiramente e por isso seja conhecida como variação ou henka.

Tori e uke encontram-se em pé, frente a frente, em gyaku hanmi (também podem estar em ai hanmi). Tori encontra-se em hidari hanmi e o uke em migi hanmi.

- Uke aproxima-se do tori avançando o seu pé direito e estende o seu braço direito para agarrar o peito do tori.

- Tori harmoniza com o movimento do uke e agarra a sua mão direita por cima, com a mão esquerda, no agarro típico do kote gaeshi.

- Tori desvia o agarro do uke para fora, para a direita, e para baixo.

- Tori 'abre' o seu corpo amplamente para a direita procurando outros adversários e desequilibrando o uke.

- Tori usa a sua mão direita, como se fosse um sabre, com o sentido de cortar horizontalmente algum adversário que se encontre por detrás.

- Tori traz a mão do uke para o seu centro. Neste ponto, pode aplicar um atemi à cara do uke com a mão direita.

- Tori repentinamente gira o seu corpo para a esquerda, com um grande passo com o pé esquerdo.

- Ao mesmo tempo que tori dá o passo, cobre o resto da mão do uke com a sua mão direita e torce a mão na sua direção, dobrando assim o seu cotovelo, o que irá ajudar ainda mais o desequilíbrio.

- O uke irá cair de costas contra o tatami.

- Assim que o uke caia, tori deixa de pressionar a mão do uke com a sua mão direita e agarra o cotovelo de uke pela parte interior.

- Tori desloca-se pela cabeça do uke (normalmente usando a deslocação 'roppo' ou deslizando, conforme o adversário), e pressiona o cotovelo de uke contra o seu centro (de tori) e para baixo. Ao mesmo tempo, pressionar a mão do uke torcendo-a para baixo.

- Uke será assim forçado a rodar e ficar de barriga para baixo.

- Mal o uke esteja a acabar de rodar, já tori pousou o seu joelho direito em frente à cabeça do uke.

- Tori mantém o joelho esquerdo em cima, e usa o interior desta sua perna para pressionar o braço do uke, com a parte interior, na direção da cabeça dele, o que dará tempopra uma necessária substituição de mãos; ao mesmo temp, desliza a mão direita para do cotovelo para cima e agarra o interior do pulso do uke. Depois de agarrar o pulso do uke, a mão esquerda é colocada no cotovelo de tori, pressionando-o contra o corpo de tori e para baixo.

- Tori inclina-se e 'afunda-se' na direção da cabeça do uke.

- Ao sentir a pressão, uke responde batendo contra o tatami.

- Tori levanta-se primeiro com o pé esquerdo (que pressiona novamente o braço do uke) e depois com o direito, e recua para longe do uke, largando a mão por ultimo. 


- Repetir para o outro lado.



Dicas: Saber fluir com os ataques é uma parte muito importante no estudo do Aikido. Esta técnica ajuda-nos a fluir com os ataques mais básicos, mas prepara-nos para outros mais rápidos como um murro. 
Devemos estudar bem o agarro correcto da mão do uke, no caso do kote gaeshi. O polegar deve pressionar a base do anelar e o resto da mão agarra o polegar do uke - por cima - sendo que o indicador e o médio devem estar a agarrar a carne do polegar e pressionar o centro da palma, enquanto o anelar agarra já no final da mão e o mindinho agarra no início do pulso.
Ao dar o passo para trás do uke com o pé esquerdo, tori deve seguir a linha de desequilíbrio do uke que é a que percorre o seu centro, seja para a frente seja para trás.
Ao dobrar a mão e o braço, tori deve verificar que o braço esteja dobrado "como um V" [kuden].
O movimento de dobrar o pulso e o braço do uke (a projeção), não deve passar do ombro do uke para cima.


Significados:
Roppo: um deslocamento no qual a pessoa dá um passo cruzado


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: António Miguel Serra, 5º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

segunda-feira, 22 de junho de 2020

ESTÁGIO DE VERÃO - SHOCHUUGEIKO 2020

A meio de Agosto haverá o habitual estágio de verão. Todo o estágio será na Aiki En, a não ser que as instalações do Pavilhão Desportivo Municipal de Estremoz já estejam abertas e haja licença para ali fazer alguns treinos de taijutsu.

Caso se mantenha a presente situação o estágio poderá vir a ser cancelado.

Caso não se cancele o estágio e não se possa treinar no pavilhão desportivo, será inteiramente realilzado na Aiki-En, ao ar livre, e será inteiramente de buki waza: tentaremos rever todo o currículo de armas.

Estejam atentos às notícias.


Tachi waza kata dori dai nikyo ura

Uke e tori encontram-se de pé frente a frente, em gyaku hanmi. Uke está em migi hanmi e tori em hidari hanmi.

- Uke aproxima-se de tori e com a mão direita, agarra o ombro esquerdo de tori.

-Tori, tal com na técnica anterior, sai fora da linha de ataque para a esquerda, com o seu pé esquerdo (rever a forma na técnica anterior).

-Tori aplica um atemi à cara do uke, com a sua mão direita.

- Uke defende-se e desvia o atemi para fora.

- Tori agarra a mão direita do uke, aquela que está a agarrar o ombro, com a sua mão direita (a que deu o atemi).

- Tori, agarra o pulso do uke por debaixo, com a sua mão esquerda e, mantendo sempre a mão do uke presssionada contra o seu ombro, junta o seu pé esquerdo com o pé direito do uke e dá um grande passo para fora, com o pé direito, desequilibrando o parceiro.

- Ao mesmo tempo que tori desequilibra o uke da forma acima descrita, vai também torcendo a mão e o pulso do parceiro no mesmo sentido; isto ajuda a desequilibrar o parceiro para a frente.

- Tori 'abre' as ancas para a esquerda e ao mesmo tempo torce o pulso do uke para a esquerda e para baixo e a mão dele para a direita e vira o seu dedo "mindinho para o seu nariz" [kuden].

- Tori baixa mais ainda as ancas e inclina-se um pouco para o uke, sempre aplicando a técnica acima descrita.

- Uke deve responder à dor que causa o nikyo, batendo no tatami.

- Tori, sempre agarrando a mão do uke com a sua mão direita (e aplicando sempre a pressão do nikyo), coloca o seu tegatana esquerdo por debaixo do cotovelo direito do uke e aplica uma pressão rotativa para a direita, primeiro para fora e depois para baixo.

- Tori imobiliza o uke com o controlo do nikyo, já antes estudado.

Fazer a mesma técnica do outro lado.

Dicas: sempre que se aplica o nikyo ura, não se deve deixar de fazer pressão e torção do pulso, até à imobilização final.
A torção do pulso do uke deve ser como um mini suburi, na direção do seu nariz.
Se o uke for muito alto, o movimento ura tem de ser muito amplo e mais para fora.






Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: António Miguel Serra, 5º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

terça-feira, 16 de junho de 2020

Tachi waza kata dori dai nikyo omote

Uke e tori encontram-se frente a frente em gyaku hanmi: uke encontra-se em migi hanmi e tori em hidari hanmi.

- Uke aproxima-se de tori e agarra o ombro (agarrando o keikogi) esquerdo dele, com a sua mão direita.

- Tori baixa as ancas e avança para o lado direito do uke, com o seu pé esquerdo. O pé direito acompanha e ao parar fica a apontar para o centro do uke.

- Tori aplica um atemi com a sua mão direita, à cara do uke.

- Uke defende-se do atemi desviando-o com a sua mão esquerda.

- Tori desliza a mão direita pelo braço do uke e agarra a sua mão direita.

- Tori baixa ainda mais as ancas para ganhar poder e, depois de comprimir bem a mão do uke contra o seu ombro, avança com o pé direito para a frente do uke.

- Ao mesmo tempo que avança, tori coloca o tegatana da sua mão esquerda por debaixo do cotovelo de uke e empurra-o para a frente do uke e um pouco para cima.

- Tori 'corta' o braço do uke para baixo e para a frente, com o desenho de uma grande espiral. Nesta altura, a mão esquerda do tori está a agarrar fortemente o cotovelo do uke e tori deve aplicar a pressão nikyo no pulso do uke.

- Tori dá um grande passo por debaixo do uke com o seu pé esquerdo, empurrando-o para baixo.

- Tori assenta o seu joelho esquerdo no chão ao mesmo tempo que o uke cai contra o tatami, coloca o braço do uke na vertical e coloca o seu joelho direito em frente à cabeça do uke.

- Tori termina com a imobilização nikyo, já anteriormente explicada.

- Repetir a técnica para o outro lado.



Dicas:
-Ao avançar para frente do uke com o pé direito, tori não se pode esquecer de continuar a comprimir firmemente a mão direita do uke contra o ombro.
-Ao empurrar a mão do uke para a frente, também deve verificar que haja um desequilíbrio do uke de forma a que a sua mão esquerda fique longe da cara do tori.
-Quando se traz o braço do tori para baixo, tori deve verificar: que o cotovelo do uke esteja em frente ao centro de tori, que a mão de uke esteja bem torcida para fora, e que o braço do uke esteja a 90º com o seu corpo, mas um pouco longe das pernas do tori.
-Ao dar o passo por debaixo do uke, tori deve já colocar o seu joelho dentro da axila do uke para que, quando o uke caia no tatami, o joelho fique logo a controlá-lo [ler nas publicações anteriores o caso de aplicar este tipo de imobilizações com as senhoras].
-Para os exames, as técnicas de tachi waza devem começar de pé e acabar em pé; por isso, depois da imobilização nikyo, tori deve levantar-se com zanshin, sempre a controlar o braço do uke. Depois, deve então afastar-se para trás na linha da cabeça do uke, mantendo sempre o estado de alerta e largar o braço.



Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: António Miguel Serra, 5º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

quarta-feira, 3 de junho de 2020

"E se...?"




"E se...?" "E se eu empurrar?" "E se eu puxar?" "E se meu parceiro agarra com muita força?" "E se ele resistir?"

"Aikido funciona sempre!" O velho mestre Saito disse que o fundador costumava dizer isto.
Ao estudar Aikido, o básico é a coisa mais importante. Com fundamentos fortes e bases sólidas, poder-se-á desenvolver facilmente técnicas mais avançadas. Isso acontecerá não porque o parceiro nos ajude ficar ‘bem visto’ quando projetamos ou controlamos alguém, mas porque se criou uma base sólida sobre a qual se pode desenvolver uma boa técnica; significa os seus ângulos, o equilíbrio e a atitude estão corretos.

No entanto, quando alguém começa a praticar, é importante que o professor ou o sempai seja paciente para ensiná-lo corretamente.

Ninguém nasce conhecendo técnicas de Aikido: todos precisamos ser ensinados.

O iniciantes devem praticar com senpai, com yudansha (cinturão negro), de preferência, se quiserem melhorar rapidamente. Se você quer que um principiante continue como principiante, então pode fazer com que essa pessoa pratique com outros principiantes, mas eles levarão anos para atingir o nível que poderiam alcançar rapidamente, se praticassem com um yudansha.

Ao praticar com um principiante, o senpai não deve restringir ou interromper a técnica do iniciante, porque ele não aprenderá dessa maneira. Mesmo que o principiante erre uma ou duas vezes, é para seu benefício se deixarmos fazer alguns erros.
Então, o senpai deve explicar: "Se continuar a fazer isto, eu posso impedi-lo facilmente aqui e aqui e aqui". Ele deve, passo a passo, apontar as aberturas aos principiantes; os lugares onde ele pode ser impedido ou onde pode ser cortado por causa de uma má técnica.

Então, o senpai deve instruir o iniciante: "Hoje vou começar a agarrá-lo com mais força e deve perseverar e tentar, mesmo assim, fazer a técnica!" Ou "Hoje vou começar a projetá-lo com mais força, por isso, tente cair apropriadamente para não se magoar!"

Obviamente, o senpai deve reservar um tempo para ensinar privadamente o principiante, antes e depois da aula: a etiqueta apropriada, como rolar, como cair e as posições básicas.

Se o senpai treinar com principiantes, o nível técnico do senpai aumentará bastante. Uma das razões para isso é que ele deve estar totalmente concentrado no ensino e execução correta da técnica, a fim de transmitir o máximo de técnica ao seu kohai e também deve-se concentrar para não magoá-lo.
Se um yudansha sempre treina com os seus companheiros yudansha, o treino provavelmente será aeróbico, mas não melhorará. Mais bem, ficará um show.
Além disso, se alguém treina com principiantes, verá que eles frequentemente respondem à técnica de uma maneira muito "estranha". Cabe ao senpai sempre usar ângulos e atitudes corretos (sim, cada técnica tem uma atitude), para que ele possa aplicar com sucesso a técnica no principiante.

É claro que de vez em quando teremos principiantes orgulhosos que querem testar seus parceiros, mesmo que não conheçam a técnica e as consequências da oposição. O senpai, ao reconhecer esse tipo de atitude orgulhosa, deve enfrentar imediatamente o iniciante dizendo, por exemplo: “Estou a tentar ensiná-lo corretamente, mas você parece querer confrontar-me. Tem certeza de que quer confrontar-me? Ou “Tem certeza de que deseja manter essa atitude? Se você quer aprender, deve ser mais humilde e aceitar os ensinamentos. ” A maioria dos principiantes irá imediatamente aprender que deve ser mais humilde, quando confrontado. Se se deixar um principiante continuar com a sua atitude orgulhosa, poderá haver muitos problemas no futuro dentro do dojo.

Com o passar dos meses, o principiante definitivamente melhorará sua técnica. Ainda assim, em todas as aulas, assim que o professor ensinar a primeira técnica, o principiante deve correr até o senpai e curvar-se, pedindo para treinar com ele.

Um relacionamento amigável e respeitoso será o resultado desse tipo de treino.

Os ensinamentos que um sempai der aos principiantes durante o treino devem ser feitos em voz baixa ou através de gestos. Durante uma aula, o professor é quem fala alto e quem dá os ensinamentos principais. Se todos falarem, irá parecer uma festa em vez de uma aula. Poucas palavras e muito kiai é como se devia treinar durante a aula. Se treinarmos desta forma, no final da aula poderemos dizer com franqueza “Muito obrigado! Foi um keiko fantástico!”

Treinar após as aulas por cerca de 30 minutos ou menos num ambiente descontraído e amigável, ajudará a resolver muitos problemas. Aqui, o principiante pode fazer perguntas como: "e se eu resistir aqui, ainda pode fazer a técnica?" “... e se eu puxar aqui, ainda é possível aplicar a técnica? ” Esta troca de informações também ajudará o principiante a melhorar.

Mas o senpai também pode perguntar ao principiante ... ” pode-me ajudar com uma técnica? Quando eu começar este movimento, tente resistir,…. Ou tente puxar ... .. ou empurrar ... "Ou" Hoje, por favor, tente agarrar o mais forte que puder, porque eu quero testar a minha técnica! " Ou "hoje, por favor, ataque com muito poder para ver se posso receber bem!"
Dessa maneira, o senpai também envolverá o principiante no seu próprio desenvolvimento, e mostrará ao iniciante que alguém se está sempre a aprender. Por outro lado, o principiante desenvolverá seus ataques e agarros fortes e tornar-se-á forte.


Acima, escrevi que o fundador costumava dizer: "o aikido sempre funciona!" Isto é o que ele disse. Mas não se deve ser idiota. Numa situação real, todo cuidado deve ser tomado para garantir que uma técnica possa ser aplicada com sucesso no inimigo. Com inimigos enormes, algumas técnicas não funcionam; termos de escolher outras.
A estratégia torna-se muito importante. Na realidade, a maioria das técnicas também ensinará maneiras estratégicas de defender ou atacar; é preciso lembrar disto e procurar a estratégia e a atitude de cada técnica.

À medida que envelhecemos, nosso poder físico diminui. Isto acontece com todos. Sim, com o fundador também aconteceu. Então, a estratégia é mais importante do que a técnica física. Aikido é um Budo, não é uma arte marcial. Dentro do Aikido, temos muitas artes marciais, mas o Aikido é um caminho onde se pode estudar todas estas artes marciais para nos defendermos e nos melhorarmos.

segunda-feira, 1 de junho de 2020

Tachi waza kata dori dai ikkyo ura

Uke e tori encontram-se frente a frente, de pé, em gyaku hanmi. Uke está em migi hanmi e tori em hidari hanmi.

- Uke move-se para a frente e agarra o ombro esquerdo do tori, com a sua mão direita.

- Tori rapidamente sai fora da linha de ataque na diagonal para a esquerda, com o pé esquerdo e aplica um atemi à cara do uke, com a sua mão direita.

- Ao mesmo tempo que tori move o seu pé esquerdo, deve também deslocar o seu pé direito que ficará a apontar para o centro do uke.

- Uke desvia o atemi para fora, com a sua mão esquerda.

- Tori agarra a mão direita do uke com a sua mão direita, baixa ainda mais as ancas e 'enche' o seu ombro com kokyu ryoku.

- Tori empurra o seu ombro esquerdo num circulo para a direita, ao mesmo tempo que liberta a mão do uke do seu ombro.

- Tori agarra o cotovelo do uke por debaixo, com a sua mão esquerda e, colhendo a força do chão, empurra o braço do uke num circulo amplo para a direita e para baixo.

- Mantendo os braços bem esticados, ao desequilibrar uke tori coloca o seu pé esquerdo à frente do pé direito do uke para assim conseguir a distância exacta para desequilibrar o uke sem que este o empurre de volta.

- Tori 'corta' o braço do uke para baixo em espiral, sempre empurrando o seu cotovelo.

- Quando uke começar a desequilibrar-se mais ainda para a frente, tori abre o seu corpo girando no pé da frente e movendo o seu pé direito para trás.

- Tori força o uke contra o tatami e senta-se ao seu lado, colocando o braço a 90º com o seu corpo.

Repetir do outro lado.

Dicas: não esquecer que não se deve puxar o braço do parceiro mas sim empurrar.
Para que a técnicas seja mais eficaz, tori deve manter sempre os braços esticados.
Não esquecer o kuden para o ikkyo ura: "um pouco de torção e um pouco de empurrão."
Para que o desequilíbrio do uke seja constante, tori não deve diminuir o angulo do braço do uke em relação ao seu corpo; se diminuir este angulo, o uke pode aproveitar, rodar o corpo e aplicar uma contra técnica.
Nunca dobrar os cotovelos ao aplicar o ikkyo!




Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: António Miguel Serra, 5º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.