quinta-feira, 28 de maio de 2020

Tachi waza kata dori dai ikkyo omote

Uke e tori estão de pé, frente a frente, em gyaku hanmi. Tori está em hidari hanmi e uke está em migi hanmi.


- Uke aproxima-se de tori e agarra o seu ombro com a mão direita.

- Tori sai fora da linha de ataque para a esquerda, com um grande movimento do pé esquerdo. O pé direito acompanha o movimento e, no final deste primeiro movimento, fica a apontar para o uke.

- Tori aplica um atemi com a mão direita, à cara do uke.

- Tori, com a mão do atemi, agarra a mão do uke, baixa ainda mais as ancas e avança para a frente do uke com o pé direito, seguido do esquerdo.

- Ao mesmo tempo que se desloca para a frente do uke, tori deve usar o tegatana da sua mão esquerda para empurrar o cotovelo do uke um pouco para cima e depois agarrar este cotovelo e cortar para baixo em espiral.

- Tori trás o braço do uke para baixo, desequilibrando-o com um movimento amplo em espiral. no final deste movimento, a mão esquerda de tori, que agarra o seu cotovelo direito, está na linha do umbigo de tori.

- Quando o uke é desequilibrado pelo tori, o agarro da mão do uke é igual ao agarro do nikyo; contudo, não deve haver a pressão nikyo.

- Tori dá um grande passo com o pé esquerdo por debaixo do uke e ao mesmo tempo empurra o seu braço com um movimento semelhante ao kaeshizuki do jo.

- Tori ajoelha-se, ao lado do uke, com o seu joelho dentro da axila direita do uke e o outro a controlar o seu pulso direito. 

- Não esquecer que a posição final é kiza.

- Nunca esquecer de dar vida à técnica com kiai.

Repetir do outro lado.


Dicas
Mal o uke agarre o ombro, a sua ideia é desequilibrar o tori para a frente e assim dominá-lo. Contudo, tori deve baixar as ancas, carregar o seu ombro com ki forte através do kokyu ryuoku e colocar-se com o seu peito paralelo ao braço do uke. Este ponto é muito importante, pois se o peito do tori não tocar no braço direito do uke, duas coisas podem acontecer: 
  1.  uke pode puxar o uke e 
  2.  tori não poderá alcançar a cara do uke com o atemi

Ao avançar para a frente do uke, tori deve fazer um grande movimento e nunca esquecer de acompanhar este movimento com o pé de trás; o pé de trás ficará mais ou menos na linha do pé da frente do uke.
Quando o uke desequilibra o tori para baixo, deve verificar que o seu cotovelo e a palma da sua mão estejam a apontar para baixo e para a frente, poi se tiverem para cima, o uke poderá fugir.
Só dar o passo por debaixo do uke para o controlo final contra o tatami, quando o uke estiver com a sua mão livre no chão: isto quer dizer que está desequilibrado e que precisa do apoio da mão para não cair.





Kaeshi tsuki: o segundo suburi do aiki jo (espetar com a mão torcida)
Kokyu ryoku: o poder adquirido através da respiração


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: António Miguel Serra, 5º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.


Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

quinta-feira, 21 de maio de 2020

Suwari waza kata dori dai nikyo ura

Kata dori dai nikyo ura talvez seja a técnica com que mais facilmente se pode aplicar o nikyo em alguém.

Uke e tori encontram-se em seiza, frente a frente, com a mesma distância requerida para as técnicas anteriores.

-Uke agarra o ombro esquerdo do tori, com a sua mão direita.

-Tori sai fora da linha de ataque para a esquerda e aplica um atemi à cara do uke, com a sua mão direita.

-Uke defende o atemi com a sua mão esquerda, desviando-o para fora.

-Tori, com a mão direita, agarra a mão do uke por cima, tal como fez para as técnicas anteriores.

-Tori abre o seu corpo, rodando para a direita.

-Ao mesmo tempo que agarra a mão do uke por cima e roda o seu corpo, tori deve agarrar o pulso do uke por debaixo, com a sua mão esquerda e rodá-lo também um pouco para a direita e para baixo.

- Tori gira as suas ancas e ombros e aplica a pressão nikyo, tal como foi descrita anteriormente.

-Tori, sempre mantendo a pressão no pulso com a sua mão direita, deve usar o tegatana esquerdo colocando-o por debaixo do cotovelo direito do uke e forçar o cotovelo para baixo num movimento rotativo amplo mas firme.

-Tori termina com a imobilização nikyo.

- Executar a técnica no outro lado.

Dicas: Depois de aplicar o atemi, se o braço do parceiro é longo ou muito forte, tori pode usar a sua mão direita, para pressionar o braço direito do uke um pouco para baixo e um pouco para fora, para desequilibrá-lo e assim afastar a sua mente de uma possível resistência à técnica.

Ao rodar, não esquecer de colocar o joelho esquerdo em frente ao joelho do parceiro, para ter um bom ponto de pivot.

Tori deve estar preparado para resistência da parte do uke e assim ajustar a técnica em conformidade.

Existem várias variações do nikyo. Devemos ter o cuidado de aplicar as mesmas quando a nossa técnica sofrer resistência da parte do uke.

Embora doa muito, é um erro aplicar o nikyo ura com o cotovelo por cima do cotovelo do parceiro, pois isto cria uma abertura que permite ao uke criar uma contra técnica [kaeshi waza]


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.

Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.



segunda-feira, 18 de maio de 2020

Suwari waza kata dori dai nikyo omote

A diferença entre o nikyo omote de kata dori e de katate dori é muito pouca. Contudo, desde o ataque de kata dori, o nikyo pode ser executado mais rapidamente.

Uke e tori encontram-se em seiza, frente a frente como o exigido para as técnicas anteriores.

-Uke agarra o ombro esquerdo do tori, com a sua mão direita.

-Tori sai fora da linha de ataque tal como fez para as técnicas anteriores, aplicando um atemi à cara do uke, com a sua mão direita.

-Uke defende-se do atemi com a sua mão esquerda, empurrando-o para fora.

-Tori agarra a mão do uke por cima, com a sua mão direita.

-Tori enche o seu ombro com ki forte, desloca o seu joelho direito para a frente do uke, ao mesmo tempo que dobra o cotovelo do uke para cima e o seu pulso para baixo, comprimindo um contra o outro com a força do ombro e com a mão direita.

-Tori dá um grande passo com o pé esquerdo por debaixo do uke, ao mesmo tempo que aplica a pressão contra o seu pulso.

-Sem relaxar o agarro nem tirar a mão do uke do seu ombro, tori comprime o ombro do uke para baixo, ao mesmo tempo que coloca o joelho esquerdo no chão.

-Sem perder tempo, tori desloca o joelho direito para a frente da cabeça do uke e acaba a técnica, aplicando a imobilização nikyo, tal como foi feita anteriormente.

Repetir do outro lado.

Dicas: é muito importante não tirar a mão do uke do ombro; dever-se-á mantê-la sempre bem comprimida contra o peito.



Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.

Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

quinta-feira, 14 de maio de 2020

Suwari waza kata dori dai ikkyo ura

Tori e uke encontram-se sentados em seiza, frente a frente, com a distância adequada para a execução desta técnica.

- Uke agarra, com a sua mão direita, o ombro esquerdo de tori.

- Tori sai fora da linha de ataque para a esquerda e aplica um atemi à cara do uke, tal como fez na técnica omote.

- Tori agarra a mão direita de uke por cima e, num movimento amplo, retira a mão do uke do seu ombro, libertando-se do agarro.

- Tori junta o seu joelho esquerdo ao joelho direito de uke, abre o seu corpo para a direita, empurrando o braço do uke nesse sentido, com ambas as mãos, tal como fez para katate dori ikkyo ura.

- Tori coloca o braço do uke no tatami a 90º com o seu corpo, imobilizando-o desta forma.

Dicas: nunca esquecer de empurrar sempre com ambas as mãos, mantendo sempre os braços esticados até ao final da técnica.











Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

terça-feira, 12 de maio de 2020

Suwari waza kata dori dai ikkyo omote

Suwari waza kata dori dai ikkyo omote, é muito parecido com a mesma forma desde o ataque de katate dori.

- Tori e uke encontram-se frente a frente, em seiza, com a mesma distância das técnicas anteriores de katate dori.

- Uke agarra firmemente o ombro esquerdo do tori, com a sua mão direita.

- Tori enche-se de ki e, logo que o uke agarre o seu ombro, sai fora da linha de ataque, para o lado esquerdo deslocando-se com shikko, e aplica um atemi à cara do uke com a sua mão direita.

- Uke desvia o atemi de tori com a sua mão esquerda.

- A mão que é desviada pelo uke, rapidamente agarra a mão direita do uke.

- Tori desloca o seu joelho direito para a frente do uke (para o seu omote), ao mesmo tempo que empurra o seu ombro esquerdo nessa direção e empurra o cotovelo do uke com o seu tegatana esquerdo, de baixo para cima e para a frente.

- Tori, com um movimento rápido, estica bem os braços para a frente, empurrando o braço direito do uke para a frente e um pouco em espiral para fora retirando, desta forma, a mão do uke do seu ombro.

- Tori, sempre com os braços esticados, dá um grande passo por debaixo do uke com o seu pé esquerdo.

-Tori empurra o braço do uke para baixo contra o tatami, ajoelhando o joelho esquerdo dentro da axila do parceiro [ter cuidado com os peitos das senhoras nesta altura], ajusta o braço do parceiro até ficar a 90º com o seu corpo e ajusta o joelho direito de forma a controlar o seu pulso com o mesmo.

- Tori termina a técnica, como em todas as técnicas, com kiai forte e mantém o estado de alerta.

Dicas: quando sair fora da linha de ataque, verificar que o nosso peito esteja a tocar o antebraço e o braço do parceiro; desta forma, o parceiro ficará bem desequilibrado e não poderá puxar o ombro do tori para baixo.
Se o uke tiver um braço forte ou muito comprido, a mão do atemi pode também deslizar pelo braço direito do uke, na direção da sua mão direita, desequilibrando-o através de uma pressão para fora e para baixo.
Ao sair fora da linha de ataque, não esquecer de esticar bem o braço de fora, do lado em que é agarrado e de manter os dedos das mãos bem separados, cheios de Ki.
Ao deslizar para a frente do parceiro com o joelho direito, colocar kokyu no ombro que é agarrado e empurrá-lo para a frente, na direção da cabeça do uke.
Não esquecer de manter sempre os braços esticados e de manter uma pressão constante para a frente, nunca deixando o uke retroceder sequer um pouco.




Kata: ombro


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

segunda-feira, 11 de maio de 2020

Suwari waza katate dori dai nikyo ura

Tori e uke estão frente a frente em seiza, com a distância apropriada.

- Tori oferece a sua mão esquerda.

- Uke agarra o pulso esquerdo de tori com a sua mão direita.

- Tori sai fora da linha de ataque como para ikkyo omote ou ura e aplica atemi à cara do uke, com a sua mão direita.

- Uke defende do atemi com a sua mão esquerda, desviando-o para fora para o lado direito.

- Tori agarra a mão direita de uke por cima, como para ikkyo omote ou ura.

- Tori rapidamente coloca o seu joelho esquerdo junto do joelho direito do uke e gira o seu corpo para trás, abrindo e alinhando-se lado a lado com o uke.

- Ao mesmo tempo que tori gira o corpo, deve trazer o pulso do uke para o seu ombro.

- O agarro do pulso do uke deve ser por debaixo, com a sua mão esquerda.

- Tori, comprimindo a mão do uke contra a base do seu ombro esquerdo, gira as ancas e os ombros na direção do uke, dobrando assim o seu cotovelo para fora.

- Tori inclina-se na direção da cabeça do uke e aplica pressão sobre o pulso direito do uke.

- Tori, sem desconectar a mão do uke da posição em que se encontra (e sempre aplicando a pressão do nikyo), coloca o seu tegatana esquerdo por debaixo do cotovelo do uke e gira o seu corpo para fora.

- Tori, ao rodar para trás, faz pressão no cotovelo do uke para baixo e força-o contra o tatami, junto do seu joelho esquerdo.

- Tori ajusta o joelho direito, colocando-o frente à cabeça do uke.

- Tori muda de agarro, completando a imobilização, tal como fez para as outras formas do nikyo omote ou ura.

 Repetir para o lado contrário.

Dicas: é importante que, ao aplicar a pressão sobre o pulso do uke, tori não deixe a base do seu polegar "descolar" do seu peito, pois assim uke poderá retirar a mão.
Ao rodar o uke para fora, depois de aplicar a pressão dolorosa, o tegatana deve estar por debaixo do cotovelo do uke e a pressão deve ser primeiro de baixo para cima e depois para fora e para baixo, num movimento em espiral.
Na imobilização final, não esquecer de que um joelho deve estar bem comprimido junto à axila do uke e o outro em frente à sua cabeça. Depois, deve comprimir um joelho contra o outro, comprimindo desta forma a cabeça do uke, imobilizando-o completamente.
Na técnica real, ao trazer o uke para baixo, o uke deve ficar enfiado directamente entre os dois joelhos, contudo, esta forma é muito severa para o parceiro e por isso, durante a prática, deixamos ao uke um pouco de espaço para se ajustar, sem se magoar. Mesmo assim, não devemos deixar aberturas que o uke possa aproveitar para escapar.


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.





sexta-feira, 8 de maio de 2020

Suwari waza katate dori dai nikyo omote 2

Esta forma de nikyo omote é mais dolorosa do que a anterior. Os praticantes poderão escolher uma ou outra para os seus exames.

Uke e tori estão frente a frente, em seiza.

-Tori oferece a sua mão esquerda.

-Uke agarra o pulso esquerdo do tori com a sua mão direita.

- Tori sai fora da linha de ataque e aplica um atemi à cara do uke.

-Uke defende com a sua mão esquerda e desvia o atemi para fora.

-Tori sai for da linha de ataque, agarra a mão do uke, tal como fez na técnica do nikyo omote 1.

-Tori encosta a mão do uke ao seu ombro, de forma a que os dedos da mão do uke fiquem a apontar para cima, agarra o braço do uke logo abaixo do cotovelo com a sua mão esquerda e pressiona o braço contra o seu peito, dobrando o cotovelo do uke para cima e o seu pulso para baixo, provocando uma grande dor.

-Tori, mantendo esta dor no braço do uke, dá um grande passo para a frente e por debaixo do uke, com o seu pé esquerdo.

- O uke não se pode esquecer de bater no tatami para avisar o tori do limite da dor.

-Tori assenta o joelho esquerdo no tatami ao mesmo tempo que pressiona o ombro do uke para baixo; o joelho deve assentar mesmo dentro da axila do direita do uke.

-Tori imobiliza o uke, com a imobilização do nikyo, já anteriormente descrita.

- Repetir para o outro lado.

Dicas: Ao dobrar o cotovelo do uke para cima, os dedos, o cotovelo e o seu ombro, têm de estar todos alinhados com a cabeça; desta forma a dor aplicada será constante.
É importante manter sempre o controle da mão do uke, na imobilização final, até que todo o seu braço esteja bem imobilizado.
Nunca é demais avisar para ter cuidado com os peitos das senhoras, na altura da imobilização final (em especial nikyo, sankyo, yonkyo e kote gaeshi).


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.


quinta-feira, 7 de maio de 2020

Suwari waza katate dori dai nikyo omote 1

Katate dori dai nikyo omote, primeira forma. Para os exames de kyu, os praticantes podem apresentar uma das duas formas aqui apresentadas. Hoje apresentamos a primeira.

Tori e uke encontram-se em seiza, frente a frente, com a distância igual à da técnica de katate dori dai ikkyo.

-Tori oferece a mão esquerda.

-Uke agarra o pulso esquerdo de tori com a sua mão direita e com firmeza, logo que tori ofereça a sua mão.

-Tori enche o seu braço com kokyu, abre os dedos da mão e carrega-os com ki forte.

-Tori sai fora da linha de ataque e aplica um atemi à cara do uke, com a sua mão direita.

-Uke protege-se do atemi desviando-o com a sua mão esquerda, para fora.

-Tori agarra a mão e o cotovelo de uke, tal como fez para katate dori dai ikkyo omote, e desliza o seu joelho direito para a frente do uke.

-Tori empurra o braço do uke para a frente, desequilibrando-o.

-Tori aplica pressão na mão do uke, dobrando o seu pulso e pressionando os seus dedos na direção da sua cabeça.

-Com a dor, uke avisa batendo contra o tatami.

-Tori dá um passo para a frente, tal como fez para ikkyo omote e empurra o uke contra o tatami.

-Logo que o ombro do uke bata contra o tatami, também o joelho esquerdo deve ser colocado no tatami, contra a sua axila direita.

-Tori termina a técnica, mudando de mãos, tal como fez para shomen uchi dai nikyo omote.

-Repetir do outro lado.

Dica: para poder aplicar esta forma correctamente, é importante estudar o ângulo correcto da pressão na sua mão. Tendo cuidado, estudar isto com um parceiro.


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.


quarta-feira, 6 de maio de 2020

Suwari waza katate dori dai ikkyo ura

O princípio de ura waza é também aplicado nesta técnica. O movimento tem de ser amplo e contínuo.

Tori e uke encontram-se frente a frente com o maai selecionado para a técnica de omote.

-Tori oferece a sua mão direita.

-Uke agarra firmemente o pulso direito do tori, com a sua mão esquerda.

-Tori enche o seu braço de kokyu, abre os dedos das mãos e sai fora da linha de ataque para a direita e para trás do parceiro, de forma a desequilibrá-lo.

-Tori aplica um atemi com a mão esquerda à cara de uke.

-Uke defende com a sua mão direita, desviando o atemi.

-Com a mão esquerda, tori imediatamente agarra a mão de uke, da mesma forma usada para omote waza.

-Tori, com um movimento amplo move a mão do parceiro num grande circulo para a esquerda e para fora, agarrando o cotovelo com a sua mão direita e empurrando-o, para a ajudar este movimento, para fora e para baixo.

-Para poder fazer o movimento ura correctamente, tori junta o seu joelho direito ao joelho esquerdo do uke e utiliza este ponto para girar para fora, abrindo o seu corpo.

-Tori, sempre com os braços esticados, completa o movimento circular colocando o braço do uke no tatami e controlando-o como na técnica anterior.

Dica: não esquecer que para ura waza, o agarro deve ter, "um pouco de torção e um pouco de empurrão." [kuden]





Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.


terça-feira, 5 de maio de 2020

Suwari waza katate dori dai ikkyo omote

A partir do 5º kyu, os praticantes começarão a demonstrar, para os seus exames, técnicas de katate dori.

-Tori e uke encontram-se em seiza, frente a frente, com a distância [maai] de mais ou menos um palmo entre os joelhos de cada um.

-Tori estende o seu braço direito.

-Uke imediatamente agarra o pulso de tori com a sua mão esquerda.

-Tori abre os dedos da mão e enche o seu braço de kokyu.

-Tori sai fora da linha de ataque para a direita, deslocando-se com shikko (rever esta técnica de deslocamento de joelhos, nas publicações anteriores).

-Tori mantém o seu braço esticado e cheio de energia e, com a mão esquerda, aplica um atemi à cara do uke.

-Uke defende o atemi com a sua mão direita.

- Tori agarra a mão do uke por cima.

-Tori avança o seu joelho esquerdo para a frente do uke, ao mesmo tempo que empurra o braço dele nesse sentido.

-Tori retira a mão do agarro do uke e usa-a para agarrar o seu cotovelo, por debaixo.

-Tori aproveita o desequilíbrio do uke, para avançar com o seu pé direito, por debaixo do uke.

-Tori baixa o joelho direito ao mesmo tempo que pressiona o ombro do parceiro contra o tatami.

-Tori rapidamente move o seu joelho esquerdo para junto do braço do uke, colocando o braço a 90º com o seu corpo, como em qualquer ikkyo.

-Tori não deve modificar o agarro da mão do uke, no controle final.


Dicas: depois de sair fora da linha de ataque, para poder agarrar bem a mão do uke, tori deve dobrar o seu pulso para baixo. Isto criará um espaço entre a palma da mão do tori e a mão do uke, o que facilitará um bom agarro.
Quando o uke defender o atemi de tori, não deve colocar a mão a proteger, mas deve também desviar o atemi para fora; senão fizer este movimento, apanhará com o atemi de qualquer forma.
Ao começar o movimento omote, tori deve usar o seu pulso dobrado e empurrá-lo na direção da cara do uke e, imediatamente rodar a sua mão de forma a que o tegatana comprima o polegar do uke; isto fará com que seja mais fácil empurrar a mão do uke.






Maai: distância apropriada (com o parceiro)

segunda-feira, 4 de maio de 2020

Tachi waza shomen uchi kote gaeshi

O movimento para esta técnica é parecido ao de suwari waza contudo em tachi waza, temos uma maior mobilidade e por isso a técnica ganha outra força.

-Tori e uke encontram-se frente a frente em ai hanmi (migi hanmi).

-Tori ataca a cara do uke com o seu tegatana direito.

-Uke responde protegendo-se com o seu braço direito.

-Tori, ao mesmo tempo que ataca, dá um passo para a frente e coloca o seu pé esquerdo em frente ao pé do parceiro [tsumasaki no mae -kuden].

-Tori agarra a mão de uke por cima, com o agarro kote gaeshi, e 'corta' a mão do uke para baixo e em espiral, ao mesmo tempo que abre o seu corpo para fora e para o lado direito. 

-Com a mão direita corta para fora como se tivesse um sabre na mão e cortasse atacantes à sua volta.

-Tori dá um passo para trás com o seu pé esquerdo e ao mesmo tempo vira o pulso do parceiro com ambas as mãos, como fez em suwari waza.

-Quando o uke cai, tori deve imediatamente agarrar o seu cotovelo com a mão direita e pressionar-lo baixo e contra os seus pés.

-Tori desloca-se e obriga o uke a virar-se de barriga para baixo.

-Quando uke está a acabar de rodar, já o tori deve estar com o seu joelho direito pousado no tatami, contra a cabeça do uke, impedido-o de se levantar.

-Enquanto não baixa o seu joelho esquerdo, tori aproveita para deslizar a sua mão direita pelo braço do uke acima, e agarra o seu pulso firmemente.

-Tori comprime o pulso direito do uke contra o seu ombro, ao mesmo tempo que controla o seu cotovelo com o braço esquerdo.

-Tori 'afunda' ainda mais as ancas, gira o seu tronco na direção da cabeça de uke e, com o estômago, empurra o braço do uke na direção da sua cabeça.

-Tori acaba a técnica, levantando-se com estado de alerta.

Dicas: Ao dar o passo que irá projectar o uke, tori deve verificar que nem se afasta, nem se chega demasiado ao uke; este passo deve ser dado na linha mais fraca do equilíbrio do uke (pedir ao professor que ensine sobre esta linha).
É importante que toda a técnica seja feita em continuidade, sem paragens.
É importante que os ângulos sejam correctos, para impedir que o uke faça tobu ukemi. As projeções correctas do aikido não permitem tobu ukemi. 
Ao projectar o parceiro não esquecer de manter o seu braço aberto "como um V um pouco aberto."



Mae: frente
Tsumasaki: o dedo grande do pé

Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: António Miguel Serra, 5º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.
Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

domingo, 3 de maio de 2020

Suwari waza shomen uchi kote gaeshi

Virar o pulso do parceiro é facilmente aplicado em muitas pessoas. Contudo, devemos sempre ter em conta que nem todos os atacantes têm a mesma medida de mãos, a mesma força física ou o mesmo espírito de combate. Haverá atacantes com mãos grandes e fortes ou pequenas e fortes, que serão muito dificilmente viradas. Por esta razão, é muito importante treinar bem o poder das mãos e aplicar sempre esta técnica com um kokyu forte, nunca esquecendo os ângulos correctos.

Tori e uke estão sentados frente a frente como se fosse para a técnica de irimi nage.

-Tori executa um ataque à cara do uke com o seu tegatana direito.

-Uke defende com o seu braço direito.

-Ao mesmo tempo que ataca, tori deve deslizar o joelho esquerdo para junto do joelho direito do uke, sair fora da linha de ataque abrindo para a direita.

-Ao começar a sair fora da linha de ataque, tori 'corta' a mão do uke para fora e para baixo e mantém o contacto com a mão direita do uke, agarra esta com a sua mão esquerda, por cima na zona do polegar. É importante que o agarro esteja bem feito ou o uke poderá facilmente puxar a sua mão e livrar-se da técnica.

-Tori abre profundamente o seu corpo para a direita e usa a sua mão direita como se fosse um sabre, cortando à sua volta, num movimento horizontal.

-Tori fortalece o agarro da mão do uke colocando a sua mão direita por cima, juntando os seus dedos com os dedos da mão do parceiro e pressiona-os para fora e para baixo.

-Tori movimenta o seu joelho para trás e faz pressão com ambas as mãos contra o pulso do uke, virando a mão dele para fora e para baixo.

-Tori rapidamente junta-se ao parceiro e controla-o com o controle de shiho nage, tirando a mão direita e agarrando o pulso ou (como alternativa, tori pode controlar o parceiro de outras formas, tais como a seguinte, que é a mais comum), agarra o seu cotovelo com a sua mão direita, dá um passo e volta o parceiro de barriga para baixo (esta forma é executada no video, mas do lado contrario).


-Tori desliza a mão direta do cotovelo para cima, para o pulso do uke e agarra-o firmemente, enquanto a outra mão irá controlar o cotovelo, pressionando-o para baixo e contra o nosso hara.

-Tori gira os ombros e empurra o seu braço na direção da cabeça do uke.

Dica: o kote gaeshi requer velocidade e correcta execução. Muitos praticantes gostam de demonstrar esta técnica, pois pode-se adaptar a mesma para demonstrações com muita facilidade, permitindo assim ao uke saltar e fazer tobu ukemi, o que causa um grande impacto visual. Na realidade quando bem feita, esta técnica é como as outras e não permite ao uke fazer ukemi.
Devemos treinar agarros fortes através da prática dos suburi, do tai no henko e do morote dori kokyu ho, para que se possa agarrar fortemente a mão do parceiro.
Ao agarrar a mão por cima da mão do parceiro, o polegar deve pressionar um tsubo na base do dedo anelar da mão do uke.
Ao virar a mão do parceiro, verificar que o seu "braço dobre com a figura de um V um pouco aberto." [kuden]



Gaeshi: voltar, virar
Kote: pulso
Shiho nage: o método/princípio de projectar aos quatro cantos [shi:4; ho: método]
Suburi: prática a sós com armas
Tsubo: um ponto de pressão


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: Gil Vargas, 3º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.

Todas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

sexta-feira, 1 de maio de 2020

Suwari waza shomen uchi dai sankyo ura

As formas sankyo omote e ura, seguem um princípio que é, depois de se aplicar a pressão sankyo, movimentar o parceiro com o ritmo "ichi, ni". Estudem bem estes passos sem os quais não é possível trazer dominar o parceiro com sankyo.

-Tori ataca a cara de uke com o seu tegatana direito e executa a primeira parte do ikkyo ura. Sem conhecimento do ikkyo ura waza, não se poderá continuar a estudar o sankyo.

-Uke defende com o seu braço direito.

-Tori, depois de desequilibrar o uke, rapidamente passa a sua mão esquerda por debaixo do braço direito do uke e agarra o seu tegatana direito.

-Quando o tegatana do parceiro esteja agarrado firmemente, tori larga o pulso do uke e, com a sua mão direita, agarra os dedos da mão direita do uke.

-Com ambas as mãos, Tori torce a mão do uke, virando o tegatana do uke contra o seu centro, provocando assim uma dor que obriga o uke a flutuar as suas ancas.

-Mal o uke reaja com dor, tori imediatamente corta o seu tegatana para baixo e para trás, ao mesmo tempo que desliza o seu joelho esquerdo para trás (ichi), controla o cotovelo com a mão direita e desliza o joelho direito para trás, completando o movimento (ni).

-Tori, ao completar o segundo passo, coloca o braço do uke na vertical e termina controlando o braço da mesma forma usada para omote waza (ver a técnica publicada anteriormente).

Dica: Ao agarrar o tegatana direito do uke, é importante que, enquando se faza este controlo, uke não largue o pulso do uke. É também importante que, para que tenha tempo de agarrar a sua mão com sankyo, tori use o seu braço esquerdo para empurrar o cotovelo do uke para fora, desequilibrando-o.
Ao dar o primeiro passo para trás (ichi), depois de provocar a reação no uke, tori tem de exercer força no braço do uke para baixo, com ambos os braços esticados; só quando dá o segundo passo (ni) é que o tori deve colocar o braço do uke na vertical.



Ichi: 1 (número um)
Ni: 2 (número dois)


quarta-feira, 29 de abril de 2020

Suwari waza shomen uchi dai sankyo omote

Sankyo é o terceiro ensinamento. Nesta técnica existe uma torção da mão também bastante dolorosa e por isso é necessário ter cuidado.

-Tori começa a técnica como em shomen uchi dai ikkyo omote, atacando com o tegatana esquerdo.

-Uke defende com o seu braço esquerdo.

-Depois de sair fora da linha de ataque, tori dá um passo com o pé direito por debaixo do uke, tal como fez para o ikkyo omote.

-Depois de dar o passo, tori baixa o joelho direito e corta o braço do parceiro para baixo.

-Uke resiste um pouco e não vai ao tatami, ao contrário do ikkyo omote.

-Tori então retira a mão direita do cotovelo de uke, passa-a por debaixo do braço e agarra, por debaixo, o tegatana esquerdo do uke.

-Tori junta a mão do parceiro ao seu peito, pressionando-a fortemente com a sua mão direita.

-Tori aplica um atemi com a mão esquerda à cara do uke, ao mesmo tempo que dá um passo para a frente do uke com o pé esquerdo e pousa o joelho esquerdo no tatami, em frente ao uke.

-Uke sente a dor da torção da mão e responde flutuando as ancas.

-Tori 'corta' a mão do uke para baixo e para trás, ao mesmo tempo que agarra o seu cotovelo com a mão do atemi e, também, ao mesmo tempo que desliza o joelho direito para trás. Nesta altura, tori faz pressão em cima do braço do uke, com ambos os braços esticados.

-Tori dá desliza o seu joelho esquerdo para trás, forçando a cabeça do uke contra o seu joelho.

-Tori imediatamente coloca o braço do uke na vertical e desliza a sua mão esquerda pelo braço do uke acima "deslizando o dedo mindinho pelo braço do parceiro acima", mantendo sempre, desta forma, o controle do braço.

-Tori substitui o agarro da sua mão direita, "agarrando o seu pulso, juntamente com os dedos."

-Tori desliza a sua mão direita pelo braço do uke abaixo e pressiona, com o seu tegatana, o cotovelo do uke contra o hara.

-Tori baixa mais as ancas e gira-as, juntamente com o tronco, na direção da cabeça do uke.

-Uke deve responder com pancadas contra o tatami, quando a sentir dor.

A forma básica do sankyo é a mais complicada das formas básicas mas, uma vez aprendida, poder-se-á aplicar de mil e uma maneiras, e com muita rapidez.

Dica: Para agarrar a mão do uke com o agarro sankyo, "posicionar-se lado a lado com o parceiro" [kuden]. Este ensinamento irá ser muito útil para quase todas as técnicas que usem sankyo.
Quando tori agarrar a mão do uke em sankyo, deve verificar que tem tempo para fazer este agarro; ganha o tempo necessário desequilibrando o uke, ao empurrar o seu cotovelo em espiral para fora e para baixo, com o seu braço direito.
O controle correcto do cotovelo irá permitir que o tori agarre correctamente a mão do uke em sankyo.
Quando mudar de mãos na imobilização final, manter sempre um bom controle do braço e da mão do uke.


Sankyo: o terceiro ensinamento

terça-feira, 28 de abril de 2020

Tachi waza shomen uchi dai nikyo ura

Nikyo ura é uma das técnicas que provoca mais dor e por isso é muito importante ter cuidado com o parceiro que recebe a técnica.

Tori e uke encontram-se de pé, ambos em ai hanmi, com o pé direito à frente [migi hanmi], e com a distância exigida para o ikkyo ura (rever esta técnica já publicada neste blogue).

-Tori ataca a cara do uke com a mesma forma que usou para o ikkyo ura, dando um passo com o pé esquerdo e colocando-o encostado ao pé direito do uke.

-Uke responde protegendo-se com o braço direito.

-Ao mesmo tempo que ataca com a mão direita e avança com o pé esquerdo, tori agarra firmemente o pulso direito do uke, por debaixo.

-Tori mantém o tegatana encostado ao pulso do uke, abre o corpo girando para fora e para a direita.

-Tori usa ambas as mãos e o poder das ancas, para 'cortar' o pulso do uke para baixo em espiral, contra o tatami; para ganhar poder, tori baixa as ancas ao 'cortar' o pulso do parceiro para baixo.

-Tori revira a mão do parceiro usando o polegar, tal como fez para suwari waza nikyo ura e também coloca a mão do uke contra o peito, do lado esquerdo, junto ao ombro.

-Tori gira as ancas na direção do uke e aplica a mesma pressão usada na forma em suwari waza.

-Uke deve responder à dor, batendo no tatami.

-Tori, continuando a pressionar a mão do parceiro fortemente contra o peito, coloca o tegatana esquerdo por debaixo do cotovelo do uke, empurra um pouco o seu corpo para a frente na direção do uke e gira ainda mais para trás, sem nunca largar a mão do uke.

-Ao completar este movimento, tori coloca o seu joelho esquerdo no tatami e força o uke a cair contra este, colocando de imediato o joelho direito em frente à cabeça do uke, pressionando-a.

-Tori troca de mãos, controlando o braço do uke da mesma forma que fez com a mesma técnica em suwari waza e tachi waza omote.

-Tori levanta-se da mesma forma utilizada para nikyo omote.

-Repetir para o lado contrário.

Dicas: é muito importante treinar agarros fortes de forma a que o uke nunca possa escapar enquanto executamos a técnica. Ao sentir a dor do nikyo ura, a reação natural do uke será retirar a mão; não devemos deixar que isto aconteça e dominá-lo até ao fim.
É importante manter sempre um grande controle do braço do uke, quando se troca de mãos para a imobilização final.
Antes de cada aula, devemos sempre treinar nikyos em nós mesmo com o exercício de nikyo undo, ou então pedir a um parceiro para nos aplicar nikyo ura, de forma a fortalecer os nossos pulsos.




Ai: harmonia
Hanmi: metade do corpo, uma posição com um dos pés á frente.
Migi: direita
Undo: exercício


Atenção: não praticar sem a presença do professor.

Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: António Miguel Serra, 5º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Todos os participantes nas filmagens e fotografias técnicas, deram licença escrita para a utilização da sua imagem.

Tachi waza shomen uchi dai nikyo omote

Nikyo omote em pé começa com a distância utilizada para o ikkyo omote em pé.

-Tori ataca com a mão esquerda, da mesma forma que para shomen uchi dai ikkyo omote.

-Uke defende com o seu braço esquerdo.

-Tori usa o seu polegar para revirar e agarrar firmemente a mão esquerda do uke, tal como foi feito para esta forma em suwari waza.

-Tori dá um grande passo por debaixo do uke com o pé direito, tal como fez para ikkyo omote.

-Tori baixa o joelho direito ao mesmo tempo que força o uke para o tatami; o joelho direito ajoelha já dentro da axila do uke [ter cuidado com os peitos das senhoras, neste ponto].

-Tori coloca o braço do parceiro na vertical, sempre fazendo pressão contra a sua mão, dobrando-a na direção da cabeça do uke e passa o joelho esquerdo para a frente da cabeça do uke. 

-Tori agarra a gola do seu keiko gi com a mão direita que estava no cotovelo e pressiona o cotovelo direito contra o braço do uke.

-Depois de agarrar e controlar bem o braço do uke, tori larga o agarro do nikyo e desliza a sua mão pelo braço do uke abaixo e, com o seu tegatana, faz pressão contra o cotovelo, empurrando-o contra o estômago e para baixo.

-Tori vira as ancas e empurra o braço do uke na direção da cabeça deste, tal como fez para o nikyo em suwari waza.

-Uke deve responder à dor, batendo várias vezes contra o tatami.

-Como é tachi waza, tori deve acabar a técnica em pé. Assim, tori levanta o joelho direito e, com a coxa ou com o joelho, empurra o braço do uke, substituindo a força que exercia com os braços.

-Tori agarra na mão do uke e afasta-se dando um passo para trás, na linha da coluna dorsal do uke.

-Repetir para o outro lado.

Dicas: para que o agarro da mão seja bem feito, antes de começar o ataque, tori tem de baixar as ancas de forma a agarrar o cotovelo do uke, por debaixo; quanto mais por debaixo tori conseguir agarrar o cotovelo do uke, mais fácil será revirar a mão do uke para o agarro nikyo.
Depois de agarrar a mão do uke, não esquecer de pressionar os seus dedos na direção da sua cabeça, para causar dor; sem esta dor, o nikyo não estará bem feito (contudo, ter sempre cuidado para não lastimar o pulso do uke; o uke deve sempre avisar o tori se tiver problemas com os pulsos).
Enquanto está a fazer a imobilização final, tori deve sempre estar alerta e impedir o uke de fugir, durante todo o processo, até se levantar.



Ter sempre cuidado ao treinar. Não treinar sem a presença de um professor.

Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: António Miguel Serra, 5º Dan
Filmagem: Rui Pessoa Pires

Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Suwari waza shomen uchi dai nikyo ura

Para dai nikyo ura, começar em seiza, frente ao uke, com a mesma distância requerida para ikkyo ura waza.

- Tori ataca a cara do uke com o seu tegatana direito e agarra, ao mesmo tempo, o pulso direito do uke, por debaixo.

-Uke defende com o seu braço direito.

-Tori, ao mesmo tempo que ataca a cara do uke, deve deslizar o seu joelho esquerdo contra o joelho direito do uke e desequilibrar o uke para a frente, ao 'cortar' a mão do uke para trás e para baixo. É importante que toda esta parte seja feita ao mesmo tempo.

-Tori usa o polegar da sua mão direita para revirar a mão do uke, agarrando-a tal como fez para omote waza.

-Tori, depois de agarrar firmemente a mão do uke, coloca-a de imediato contra o seu ombro esquerdo, pressionando toda a mão do uke desde o seu indicador até ao seu pulso, contra o peito.

-Tori gira as suas ancas e ombros na direção do uke usando este movimento para dobrar o seu cotovelo em forma de esquina.

-Tori torce, com a sua mão direita a mão do uke para a direita, para baixo e contra o seu peito e, com a sua mão esquerda, torce o pulso do uke também para baixo e para a esquerda.

-Tori inclina-se ligeiramente de forma a que o pulso do uke se vire contra a sua cabeça, causando dor no seu pulso.

-Uke responde à dor batendo contra o tatami.

-Tori, sempre pressionando contra o peito a mão do uke com a sua mão direita, coloca a mão esquerda por debaixo do cotovelo direito do uke e, através de um movimento rotativo que exerce contra o cotovelo do uke,  gira abrindo o seu corpo para trás trazendo, desta forma, o uke para baixo.

-O uke cai contra o tatami de barriga para baixo.

-O uke deverá cair com a sua axila direita, contra o joelho esquerdo de tori.

-Sem deixar de fazer pressão, tori coloca o seu joelho direito em frente à cabeça do uke e termina com a pressão exercida para nikyo omote.

Dica: nunca deixar de provocar o desequilíbrio no uke e de agarrar firmemente, pois com a dor o uke irá reagir tentando retirar o braço.
Ao torcer a mão para a sua cabeça, "dobrar o seu cotovelo fazendo-o assumir a figura de uma esquina , dobrando a sua mão de forma a que o dedo mindinho vire contra o seu nariz" [kuden].

Atenção: é importante que o uke reaja mal sinta a dor do nikyo batendo várias vezes, com a mão livre, contra o tatami assinalando assim que atingiu a dor máxima, e que o tori tenha todo o cuidado de não aleijar o uke com esta técnica. O uke, se tiver problemas com os pulsos, deve avisar o tori antes de começar a técnica

Repetir para o lado contrário.


Tatami: tapete (neste caso um tipo de tapete usado para cobrir o chão das casas tradicionais japonesas e que também é usado, na sua versão moderna, para o treino de artes marciais.


Praticar sempre com segurança, na presença de um professor.

Suwari waza shomen uchi dai nikyo omote

O tori e o uke começam em seiza, com a mesma distância entre os joelhos de cada um, como a  distância requerida para suwari waza shomen uchi dai ikkyo omote.

-Tori ataca uke com o seu tegatana esquerdo, e desloca-se exactamente como fez para ikkyo omote.

-Uke defede-se com o seu braço esquerdo.

-Tori, em vez de agarrar o pulso de uke, 'corta-o' para baixo e para fora, num movimento em espiral.

-Ao estar quase a tocar no tatami, tori usa o seu polegar esquerdo para rodar a mão de uke e agarrá-la toda, revirando a sua palma para forma, ao pressionar o seu polegar; tori deve agarrar firmemente toda a mão do uke, desde o tegatana até ao polegar.

-Logo que vire a mão do uke, tori deve também pressioná-la "virando os dedos na direção da cabeça de uke" de forma a causar uma dor através da qual controlará o braço e o corpo do uke.

-Tori dá um grande passo com o pé direito por debaixo do uke, como fez para ikkyo omote e, ao completar o passo, baixa o seu joelho ao mesmo tempo que pressiona o ombro do uke para contra o tatami.

-Tori verifica que o seu joelho direito esteja profundamente dentro da axila do uke [não exagerar esta forma com as senhoras por causa dos peitos], e desloca o seu joelho esquerdo para a frente da cabeça do uke.

-Tori agarra a gola do seu keikogi, com a mão direita, pressiona o cotovelo direito contra o braço do uke, que deve estar na vertical e no lado direito do corpo de tori. Com a mão esquerda tori pressiona o cotovelo de uke contra o seu hara. 

-Ao mesmo tempo, tori aperta os seus joelhos: o de fora, do lado da cabeça de uke, contra a sua cabeça e o de dentro, na axila, contra a axila, impedindo o uke de se mover.

Dica: durante todo a execução da técnica, não deixar de controlar o uke. Ao fazer o controle final do braço do uke, existe uma pequena possibilidade do uke escapar, se o tori não estiver sempre a controlá-lo.
Tori nunca deve esquecer de manter sempre um bom controle do cotovelo do uke, pois é este ponto que o desequilibra.
Um dos kuden para a imobilização do nikyo omote (e ura) é "apertar o seu cotovelo contra o nosso estômago e torcer as ancas e a barriga na direção da cabeça do parceiro."
Ao controlar o braço do uke, apertar bem contra o nosso corpo e, também, pressioná-lo para baixo, como se estivesse a "esmagar [várias canas de] bambú verde."
O uke deve sempre responder com pequenas pancadas, ao chegar o limite da dor, para assim avisar o tori que já não pode aguentar mais; isto é muito importante, pois previne qualquer dano aos pulsos e ao braço. Com o tempo, o uke irá sentir cada vez menos dor.



Hara: barriga, estômago
Keigogi: keiko é treino, gi é uniforme então, keikogi é o uniforme de treino.
Nikyo: o segundo ensinamento



domingo, 26 de abril de 2020

Tachi waza shomen uchi irimi nage

A forma da técnica do Irimi Nage em pé, não é muito diferente da forma em suwari waza. Aqui mostramos a versão para os primeiro exames de kyu, onde a técnica é feita passo a passo.

Tori está em frente ao uke, com a distância de um pouco mais de um braço.

-Tori ataca a cara do uke com o seu tegatana direito e, ao mesmo tempo, dá um grande passo para o lado direito do uke, saindo fora da linha de ataque. Simultaneamente, aplica um atemi com a mão esquerda às costelas flutuantes do uke [ou ao seu fígado].

-Ao ser atacado, uke defende-se com o braço direito.

-Enquanto o uke reage ao atemi lateral, tori aproveita para entrar profundamente para trás do uke, deslizando com pé esquerdo.

- Tori agarra o colarinho do uke e desequilibra-o puxando-o contra a base do ombro direito.

-Tori envolve o pescoço do uke com o seu braço direito, "enrijecendo o braço como um anel de aço"[kuden], roda as ancas e dá um passo para trás do uke com o seu pé direito.

-Tori mantém o zanshin, depois de projectar, com os braços esticados na direção do uke.

Dicas: é sempre importante conhecer os kuden para todas as técnicas de aikido, pois estes ensinamentos orais irão ajudar a compreender e a executar correctamente a técnica.
Para irimi nage, além do kuden acima escrito, quando o tori se desloca para trás do uke, deve entrar de tal forma que "as suas costas estejam a ser vistas pela barriga" ou "que o umbigo possa ver as costas do parceiro."
Ao projectar o tori deve enrijecer o braço, como foi acima descrito, mas também cortar para baixo "virando o polegar para baixo."
Por fim, quando dar um passo para trás do uke, deve fazê-lo como se estivesse a "atravessar o seu centro como uma flecha atravessa o alvo."


Kuden: tradição oral
Zanshin: a mente, espírito, contínua; estado de alerta contínuo.


Suwari waza shomen uchi irimi nage

Para poder estudar irimi correctamente, começamos primeiro com suwari waza shomen uchi irimi nage.

O princípio de irimi é um dos mais importantes princípios do Aikido e deve ser dedicado muito tempo ao estudo do mesmo.

Tori e uke estão sentados em seiza, frente a frente, com a distância suficiente para que quando uke ataque, tori possa imediatamente defender-s com o seu braço.

-Tori ataca com a cara do uke com o seu tegana direito.

-Uke defende com o seu braço direito.

-Ao mesmo tempo que ataca, tori sai fora da linha de ataque para o lado esquerdo, com um pequeno shikko, e aplica um atemi às costela flutuantes do uke, fazendo com que este se curve com dor para esse lado.

-Tori dá um pequeno passo para trás do uke com o pé esquerdo, agarra a gola do uke por detrás e desequilibra-o trazendo o seu pescoço para junto do peito.

-Mantendo o pescoço do uke pressionado contra o peito, tori dá um ligeiro passo para trás do uke, com o seu joelho direito, ao mesmo tempo que envolve o pescoço do uke com o seu braço direito, projectando-o contra o tatami.

-Tori controla o uke estendendo os seus braços com as mãos abertas, na direção do uke.

-Repetir para o outro lado.


Atemi: pancada a um ponto vital do corpo da pessoa
Irimi: entrar para...; ir para...; fluir para..;

Tachi waza shomen uchi dai ikkyo ura

Para poder executar bem este movimento, é necessário proceder à prática diária do tai no henko, a fonte de todas as técnicas ura.

-Tori está frente a frente com o uke, a um passo de distância.

-Tori dá um passo para a frente com o pé direito, ao mesmo tempo que ataca com o seu tegatana esquerdo, a cara do uke e controla o seu cotovelo esquerdo com a mão direita.

-Uke defende o ataque do tori com o seu braço esquerdo.

-Tori desequilibra o uke para trás num movimento rodado e em espiral para baixo.

-Tori 'abre' o seu corpo com um passo largo para fora, com o seu pé esquerdo.

-Tori controla o braço do uke, da mesma forma que controla em suwari waza.

-Repetir para o lado contrário.

Dica: ao dar um passo para a frente, "colocar dedo grande com o dedo grande" [kuden para ura waza]. Esta é a distância exacta para aplicar o ikkyo ura.
Mal haja contacto com o braço do uke, de imediato empurrar o seu cotovelo com "um pouco de empurrão e um pouco de torção,"[Kuden para ikkyo ura] num movimento em espiral para baixo.



Tachi waza shomen uchi dai ikkyo omote

Tachi waza shomen uchi dai ikkyo omote, é a versão em pé, do suwari waza shomen uchi dai ikkyo omote. 

Tori e uke estão frente a frente, com a distância apropriada. Esta distância é medida de acordo com os parceiros mas, geralmente, mede-se mais ou menos um pé e um pouco de distância desde o nosso pé até ao pé do parceiro, para técnicas omote waza.

-Tori ataca a cara do uke, com o seu tegatana esquerdo, ao mesmo tempo que desliza fora da linha de ataque para a frente e para o lado esquerdo. Ao fazer este movimento, tori deve, ao mesmo tempo, agarrar o cotovelo esquerdo do uke por debaixo e empurrar o braço dele para fora e para o lado esquerdo usando tanto o tegatana esquerdo, como um empurrão do cotovelo do uke, com a mão direita.

-Uke deve responder ao ataque protegendo de seguida a sua cara com o braço esquerdo.
Tori baixa o polegar e agarra o pulso do uke por dentro e 'corta' o seu braço esquerdo para baixo e para a esquerda, com um movimento em espiral. 

-Ao terminar esta parte da técnica, tori deve ter os braços esticados não só para baixo mas também um pouco para a frente, de forma a que o braço do uke não fique demasiado perto das pernas do tori, pois desta forma o uke poderia contra-atacar.

-Tori desequilibra o uke até este estar ser forçado a apoiar a sua mão direita no tatami.

-Tori dá um grande passo por debaixo do uke e empurra o seu braço na mesma direção.

-Tori força o uke para baixo e ajoelha o seu joelho direito primeiro, ao mesmo tempo que o ombro esquerdo do uke bate contra o tatami. 

-Tori desliza o seu pé esquerdo um pouco para a frente e ajoelha o joelho esquerdo junto ao polegar do uke, controlando o braço esquerdo do uke contra o tatami, com um angulo de 90º com o seu corpo.

-O joelho direito tem de estar profundamente dentro da axila esquerda do uke.

-Repetir para o lado contrário.

Dica: todas as técnicas em tachi waza começam por de baixo para cima. Assim, ao atacar o uke, tori deve baixar as ancas. Se fizer este movimento, irá buscar poder ao solo e poderá agarrar o cotovelo por debaixo, o que fará com que o uke se desequilibre mais e com que o seu pulso 'abra' no nosso sentido, sendo assim mais fácil agarrar.
Ao terminar esta primeira parte do movimento, o pé de trás do tori deve estar mais ou menos na linha do pé da frente do uke.
Ao dar um passo por debaixo do uke, na segunda parte do movimento, tori deve também empurrar o seu braço "como se tivesse com uma lança a perfurar o centro da terra." [kuden ikkyo para omote]


Tachi: de pé, em pé [neste caso]


sábado, 25 de abril de 2020

Suwari waza shomen uchi dai ikkyo ura

Depois de aprender o suwari waza shomen uchi dai ikkyo omote, devemos aprender a versão ura (lê-se: urá).
Os movimentos ura waza são muito importantes na prática do taijutsu do aikido. Embora os movimentos em espiral estejam presentes tanto em omote como em ura, na forma ura são mais explícitos. 

Tori e uke encontram-se em seiza, frente a frente, com a distância entre os joelhos de mais ou menos dois palmos.
Tori ataca o uke atirando o tegatana direito contra a cara do uke. Ao mesmo tempo, desliza o joelho esquerdo, colocando-o em frente ao joelho direito do uke, imediatamente controla o cotovelo do braço direito do uke e 'corta' o braço para trás, abrindo ligeiramente o corpo também para trás. 
Uke defende de imediato com o seu braço direito.
Tori agarra firmemente o pulso direito do uke e desiquilibra-o para a frente.
Tori abre o corpo, rodando ainda mais para trás.
Tori controla o uke em baixo, contra o tatami, usando a mesma forma do que para ikkyo omote. 
Repetir para o outro lado.

Dica: tanto para omote como para ura, ao executar o movimento, tori deve sempre manter os ombros em baixo e os braços esticados. O movimento não é puxar o braço, mas sim empurrar o braço.
Como em todos os movimentos, é essencial dar vida à técnica, aplicando um Kiai forte.
Tanto para omote como para ura, é importante que o uke ao defender, também tenha a intenção de resistir um pouco e desviar o ataque para fora. Esta resistência embora seja suave no início da prática do aikido, com os meses deve aumentar, de forma a que ambos possam progredir e alcançar um bom nível de prática, com eficácia.


Ura: parte de trás
Kiai: grito

Suwari waza shomen uchi dai ikkyo omote

Suwari waza shomen uchi dai ikkyo omote é a primeira técnica que se aprende depois do tai no henko, do ki no nagare e do morote dori kokyu ho. O ikkyo está presente em todos os exames de aikido de Kyu e de Dan.

O tori e o uke encontram-se sentados em seiza em frente um do outro, mais ou menos com um palmo de distância entre os joelhos. 

Tori enche os braços com kokyu e atira o tegatana  direito contra a cara do uke. Ao mesmo tempo, avança com um pequeno shikko (ver como se faz nas publicações anteriores), para o lado direito, fora da linha de ataque. O uke defende-se com o seu braço direito. Tori agarra imediatamente o cotovelo do uke, por debaixo. Seguidamente, agarra o interior do pulso do braço direito do uke.

Tori dá um passo para a frente com o pé esquerdo, por debaixo do uke empurrando-o para trás.
Tori 'corta' o braço do uke para baixo, ao mesmo tempo de ajoelha o joelho esquerdo no tatami, contra a axila do uke. 

Tori desliza o joelho direito um pouco para a frente e controla, com este joelho, o pulso do uke.
A posição final é kiza.
Repetir do outro lado.

Dica: é importante que o ataque à cara do uke, o agarrar do cotovelo e do pulso e sair fora da linha de ataque, seja feito tudo ao mesmo tempo. 
Ao dar o passo por debaixo do uke, dar um passo firme e grande, de forma a que o uke não possa contra atacar.
No final é muito importante "Controlar o braço do uke, colocando-o a 90º com o seu corpo."



Dai: primeiro
Ikkyo: ensinamento
Omote: a parte frontal de um objecto ou pessoa
Shomen: a frente
Uchi: cortar, atacar (neste caso)



sexta-feira, 24 de abril de 2020

SUWARI WAZA KOKYU HO

Dizem que Suwari waza kokyu ho foi uma técnica feita pelo fundador, para desenvolver o poder interior  [kokyu ryoku], do praticante. O uke agarra firmemente os pulsos do tori. Tori abre os dedos das mãos, carregando os braços, os dedos e todo o corpo com ki. Tori afasta ambas as mãos e roda-as ligeiramente palma para cima. Ao mesmo tempo que executa este exercício, inspira. 
Sem levantar o rabo, tori empurra os cutelos das mãos, tegatana, na direção dos ombros do uke, expirando. Com este movimento, tori desequilibra o uke um pouco para trás. Antes que o uke caia para trás, tori dirige o seu ki para um lado e acompanha este movimento até o uke cair de costas. No final, controla o uke com a expiração e o poder do ki, estendendo as mãos em cima do peito do uke.
Depois de executar este movimento para um lado, repetir para o outro. Ao voltar à posição original, antes que o tori execute o movimento para o lado contrário, o uke não deve largar os pulsos do tori.
A posição inicial do tori e do uke deve ser seiza e a final do tori, deve ser kiza.

Dica: o agarro do uke deve ser firme, mas não com muita força. Existem técnicas variadas para quando o uke agarra com muita força. Aqui estamos a demonstrar a forma básica. É importante não levantar o rabo na primeira parte da técnica, para se manter uma forma e um equilíbrio controlado. No final, não é necessário pressionar fisicamente o peito do uke, uma vez que esta técnica é para desenvolver o poder do ki.



Ho: método
Ki: energia
Kiza: sentado "pé vivo."
Kokyu: repirar
Ryoku: poder
Seiza: sentado
Suwari: sentado
Tegatana: cutelo das mãos
Tori: aquele que toma, controla
Uke: aquele que recebe
Waza: técnica