terça-feira, 5 de dezembro de 2017

ESTÁGIO DE INVERNO 2017

Este ano o estágio de inverno será novamente na Aiki En em Estremoz.
Como está muito frio, e isto para quem ficar na quinta, sugerimos trazer um ou dois sacos de água quente. Tragam roupa de inverno. Mesmo por debaixo do keikogi, deverão usar roupa forte.

Prevê-se chuva esta sexta-feira e sábado, por isso tragam também proteção contra a chuva.

O estágio será fortemente centrado em técnica básica.





sábado, 16 de setembro de 2017

Estágio de Verão na Aiki En - 2017



Este é o segundo verão em que fazemos o estágio na Aiki En, em vez de Campilhas, como era costume. Isto deve-se a que na quinta agora há muitos animais e por isso não se pode abandonar durante 3 ou 4 dias, para acamparmos em Campilhas.
Embora não tenhamos a barragem para os treinos dentro na água e para desfrutar de nadar, temos na quinta um pequeno tanque que também satisfaz.



Este ano, tal como no ano passado, tivemos uma grande participação de praticantes do dojo de Paris e de Santiago de Compostela. Aliás estiveram os próprios mestres, o mestre Julien Dubergey e o mestre José Veiga, antigos alunos de Morihiro Saito Sensei e de Hitohira Saito Sensei.

Foi num clima de muito calor durante o dia, mas de noites espectaculares com muita luz da lua e muitas estrelas cadentes, que treinámos ferozmente durante durante 3 dias.

No último dia, como estava muito calor para treinar fora os kumitachi, como estava previsto, foi dado a escolher entre hojojutsu e ninja no waza. “Ninja no waza”, gritaram todos em conjunto. E assim foi. Uma hora e meia de treino de técnicas antigas ensinadas pelo grande mestre Morihiro Saito, que todos, pelos vistos, desfrutaram muito.


O estágio realizou-se não só no dojo da Aiki En, como ao ar livre e também no Ginásio Vybe, em Estremoz.

Apareceram alguns antigos alunos e por isso o convívio também foi bom e muito familiar. 

Para o ano há mais.


















Estágio de Lisboa - Junho de 2017



Como é tradição, durante as festas de Lisboa celebramos as mesmas com um estágio nacional.

Desta vez, o tema do estágio foi “Do Kihon ao Ki no Nagare.” Começámos por estudar as diferenças entre o Go no geio, o Ju no Geiko e o Ki no Nagare ou Ekitai geiko.

Como sempre, o básico é que dá lugar ao avançado e por isso é que se começa por treinar o tai no henko que dá seguimento ao ki no nagare.

Muitas vezes quando o Soke Morihiro Saito ensinava ki no nagare, também ensinava uma forma depois do kihon mas antes do kin no nagare, o jutaigeiko. Então durante este estágio fizemos várias formas de Jutaigeiko, também.

Do kihon ao ki no nagare praticámos muitas técnicas, entre as quais:

  • Tai no henko
  • Tai no henko ki no nagare
  • Morote dori kokyu ho
  • Ikkyo a yonkyo
  • Kaiten nage
  • Kote gaeshi
  • Irimi nage
  • Kokyu nage
  • Koshi nage



Os ataques para estudar estas várias técnicas, também foram diferentes: shomen uchi, yokomenuchi, katate dori, muna dori. As diferentes deslocações para aplicar as várias técnicas também  foram estudadas: de baixo para cima, de cima para baixo, por dentro, por fora, entrando...etc.

O estudo em ki no narre é principalmente feito pelos praticantes a partir do 3º Dan. Contudo, convém já ir adquirindo algumas noções, para que seja mais fácil a sua prática quando chegarmos aos exames que exigem ki no nagare.









Estágio de Kumitachi - 2017

Em Maio houve um estágio de Kumitachi onde se estudou quase todas as variações dos 5 Kumitachi, tanto de ken como de taijutsu.

O estágio teve a honra de receber os mestres Alberto Boglio, 6º Dan, Hugo Ribeiro, 6º Dan e José Veiga, 4º Dan, além de outras altas graduações de Portugal.

De lado, também os mais novos treinaram sob a orientação da uchideshi Carolina Cabrera.

Durante a festa, houve cantares e muita alegria. Foi um encontro único entre amigos e praticantes realmente interessados em aprender. As técnicas dos kumitachi e suas variações, são pedidas para os exames de 3º e 4º Dan.

Durante o almoço de confraternização também se celebrou o aniversário do Marko Tomatis que, desta vez, também teve a presença do seu mestre Alberto e da sua sempai Maura.

























ALBERTO BOGLIO SHIHAN EM PORTUGAL - 2017

Alberto Shihan com o seu aluno Marko Tomatis shidoin, no dojo da Aiki En.
Em Maio tivemos a honra de receber o mestre Alberto Boglio, 6º Dan de Italia e professor do Marko Tomatis.

Foi um grande prazer e uma grande honra treinar com Alberto Shihan, que chegou acompanhado da sua aluna de longa data, Maura Dogliani.

Esperamos vê-los de novo em breve.

Alberto Sensei é o segundo grau mais alto na Italia, estando somente o Mestre Alessandro Tittarelli acima dele. A sua técnica, personalidade e humildade são realmente impressionantes. Sentímo-nos muito especiais e orgulhosos de ter recebido esta pessoa tão famosa na nossa quinta.


Alberto shihan e Maura shidoin


Durante a prática de shuriken jutsu

Aulas na Escola Rainha Santa Isabel - Estremoz

Antes do verão começar, recebemos um convite da parte dos professores António e Helena, da Escola Rainha Santa Isabel em Estremoz, para dar várias aulas às suas turmas.

Estas aulas foram muito participadas e tanto alunos como professores, tiveram uma introdução à prática do Aikido. Este tipo de atividade, serve para difundir a nossa modalidade localmente e incentivar os mais novos a praticar o Aikido.

Agradecemos a participação e ajuda preciosa do Nuno Sousa, na altura também aluno desta escola.




O Nuno Sousa, a ensinar os mais novos durante um treino na ERSI


Mudança de horários em Estremoz - Informações sobre a vida de uchideshi

O horário de treino em Estremoz mudou a partir do início deste mês.

O novo horário é:
Sábados das 09h30 até Às 11h30.

O treino continua no Ginásio Vybe, que antigamente se chamava Inshape.

Recordamos que quem queira praticar e que não seja sócio do Ginásio deverá falar com o encarregado/a e pagar uma pequena taxa (costuma ser €5,00). Esta taxa deverá ser paga antes do treino.



Em breve abriremos um horário aqui na Aiki En. Estamos a pensar terça e quinta feira das 18h00 às 19h00, mas ainda está por decidir. 


Aiki En

Durante o mês de Setembro, não serão aceites uchideshi. 


Todos os praticantes devem sempre pedir para ser aceites como uchideshi. Só serão aceites praticantes da APASD que tenham as quotas Associativas e Federativas em dia. 
Os praticantes que não sejam sócios da APASD, deverão primeiramente fazer o pedido conjuntamente com uma carta de introdução do seu professor. Sem carta de introdução, não serão aceites uchideshi.

Pagamentos:
Recordamos que os uchideshi deverão pagar as suas taxas ao chegar, não ao sair. Ultimamente, os uchideshi têm pago ao sair, com a excepção dos uchideshi Franceses que sempre fizeram estes pagamentos de forma correta e atempadamente. Isto está errado e não deve ser feito. O único pagamento feito ao sair é o presente que deverá ser colocado no shomen do dojo.

Recordamos que existem preços para os uchideshi que são sócios da APASD (desde que tenham as quotas em dia) e preços para os não sócios, sejam estrangeiros ou nacionais. 
Faça-se sócio da APASD e da Federação Portuguesa de Aikido, se quiser usufruir dos preços de sócio.

Os pagamentos de permanência e de treino deverão ser entregues dentro de um envelope, logo ao chegar. Por isso, deverão já vir preparados antes de chegar à quinta.

Visitas
Os alunos que venham ficar um só dia, também devem pagar a estadia e fazer o presente de shomen. 

Inscrição
A inscrição é feita uma só vez. Não é necessário fazer uma nova inscrição cada vez que seja uchideshi.

Certificados de uchideshi:
Os alunos que fiquem menos de 5 dias, não terão direito a certificado de uchideshi.

Visitas:
A Aiki En é um local de trabalho e de treino. Se não quiser vir trabalhar ou treinar, por favor não venha para não atrapalhar. Todos os dias existe uma lista de trabalhos para fazer e por isso, ao aparecer como visita, os alunos, se não estiverem dispostos a arregaçar as mangas e a trabalhar, estarão a atrapalhar; consideramos isto muito má educação.
Todos os uchideshi que venham por menos do que 5 dias, deverão trazer e levar de volta a sua roupa de cama, ou dormir com o seu saco-cama, que deverão também levar de volta. Poderão pedir almofadas emprestadas, mas têm de trazer a sua própria fronha.

Domingo:
Aos domingos, não há ensino no Aiki En. Contudo, os uchideshi podem pedir para utilizar o dojo para jyugeiko. Deverão sempre limpar o tatami antes e depois do treino. O domingo, embora não haja ensino, também é contado como dia de permanência no Aiki En.


Exemplos de envelopes de pagamento:

Dinheiro de Toban:

Os uchideshi devem organizar-se de forma a que um uchideshi - normalmente o que já está há mais tempo a viver na quinta - seja o colector do dinheiro para a comida e este dará a devida parte ao uchideshi que seja toban para o dia. Este deverá fazer as compras e cozinhar com este dinheiro. Caso gaste mais dinheiro do que recebeu, deverá assumir estes gastos.
No final da estadia, o último uchideshi a sair, deverá entregar o envelope/bolsa do dinheiro de toban, ao mestre.

SAITO SENSEI NO PANAMÁ - JUNHO DE 2017





Pela primeira vez na América Central, Hitohira Saito Sensei visitou o Panamá para dirigir um Estágio Internacional de 3 dias, de 23 de junho a 25 de junho de 2017. Junto com Sensei veio o mestre Tristão Da Cunha para assistência durante o Estágio e para ajudar nas traduções. Foi uma grande honra para a organização Panamá Aikido Dento Iwama Ryu (Associação Cultural de Aikido y Budo, ACAB) organizar este Estágio Internacional com Saito Sensei.

O Estágio teve lugar no Ginásio da Autoridade do Canal de Panamá em Balboa, muito perto da entrada do Canal do Panamá. Um grande número de Aikidoka participou neste Estágio: Portugal, Chile, Uruguai, Brasil, Colômbia, Costa Rica, República Dominicana, México, Cuba, EUA e Panamá (para um total de 11 países). Sentiu-se uma grande expectativa por este evento pois todos estavam ansiosos para receber ensinamentos de Saito Sensei !!!
Sensei desembarcou na Cidade do Panamá na quarta-feira, 21 de junho. No dia seguinte, estava no programa a visita a alguns lugares na Cidade do Panamá. Visitámos uma reserva indiana tradicional chamada Emberá na fronteira do rio Chagres. Sensei apreciou esta visita e descobriu esses índios originais que ainda preservam as suas roupas tradicionais, as suas danças e também explicaram como faziam os seus trabalhos artesanais. Mais tarde, no mesmo dia, visitámos Miraflores Locks no Canal do Panamá, onde assistimos ao trânsito de navios através do Canal. Sensei teve a oportunidade de dar a ordem para abrir uma das fechaduras para uma passagem de navio do Oceano Atlântico para o Oceano Pacífico.


Na sexta-feira, 23 de junho, começou o Estágio. Sensei começou por falar da filosofia por detrás do Aikido de Iwama. Explicou então a posição correta do hanmi e também as outras posições de pé que usamos;  explicou também a relação que existe entre Taijutsu e Bukijutsu. Dois keiko foram realizados no estudo de Bukiwaza. Sensei explicou passo a passo, e com atenção aos detalhes importantes sobre a técnica, os Suburi de 1 a 7, o Happo giri, Go no Awase, Roku no Awase, Sichi no Awase, Kumitachi No. 2 (com 2 variações) e Kumitachi No. 4 .

Quatro keiko foram realizados no sábado. Durante o Keiko de manhã, foi feita uma grande ênfase no estudo do Jo, incluindo Roku no Jo e suas diferentes aplicações, e Roku no Jo Kumijo. Da parte da tarde, Sensei explicou detalhes sobre tai no henko, tai no henko ki no nagare e morote dori kokyu ho. Também praticámos técnicas para nikkyo, sankyo, kokyu nage, shiho nage e Jo dori.
No final do keiko de sábado, houve exames de Dan.
(foto aqui)

No sábado à noite, teve lugar um jantar em homenagem a Sensei, onde todos os participantes puderam cumprimentá-lo, oferecer-lhe presentes, conversar e passar um momento agradável, e onde se sentiu pertencer a uma grande família.



O terceiro dia do Estágio começou com o Special Keiko (ki musbi no tachi e demonstração de Nukisashi). Depois o estági continuou com Taijutsu, enfatizando o tai no henko e morote dori kokyu ho; então, Sensei ensinou diferentes variações de iriminage, kotegaeshi e ni nin dori. Sensei colocou muita ênfase no treino intenso que deve ser feito,  enfatizou o muito trabalho que deve ser feito no equilíbrio correto do Shite e no desequilíbrio do Uke. O Aikido não pára e por isso temos sempre de continuar a estudar.



Foi uma honra ter Sensei no Panamá, além de ter o mestre Tristão. Obrigado Sensei por todos os seus ensinamentos e por ter deixado o seu legado de Iwama Aikido no Panamá, que é o Aikido do Fundador O'Sensei. Panamá Aikido Dento Iwama Ryu (Association Cultural de Aikido y Budo-ACAB) gostaria de agradecer a Sensei a sua grande disposição, humildade e por estar sempre aberto para nos ensinar muitos detalhes, sempre com baseado no Aikido de O’Sensei.
Sensei várias vezes enfatizou que devemos sempre olhar para as técnicas de O 'Sensei, sempre manter um treino para desenvolver um corpo forte, estudando e melhorando a técnica. Sem dúvida e segundo palavras de Sensei, o Aikido serve para aproximar os seres humanos,  e por isso devemos sempre continuar a ser uma grande Família, dentro e fora do tatami.
Arigatou gozaimashita Sensei!
Para ver mais fotos, vá para a página do Facebook: facebook.com/Panama Aikido Dento Iwama Ryu

Além disso, para mais fotos, clique em: www.aikidoiwamapanama.com

sexta-feira, 12 de maio de 2017

13 de Maio 2002 - O dia em que o Grande Mestre Morihiro Saito nos deixou


Foi a 13 de Maio que Morihiro Saito nos deixou, depois de largos meses de doença. Morreu de cancro dos ossos, que o imobilizou nos últimos seis meses de vida.

Menciono a razão da sua morte porque, apesar de tudo, sempre se manteve com muito bom humor, animando todos à sua volta.

Por causa dum problema familiar, eu já estava de volta a Portugal, depois de mais de um ano com uchideshi em Iwama. Recebi a notícia que Sensei tinha entrado no hospital diagnosticado com cancro.
Meti-me num avião e voltei a Iwama. Estavam vários uchideshi entre os quais um grande amigo de longa data e um praticante muito próximo de Sensei e de toda a família Saito, o Simon Harris.
Os dois fomos com a família visitar Sensei e mais tarde os dois ajudámos a trazer sensei de volta para casa.

Sensei não parou. Apesar de limitado, continuava a querer percorrer a quinta de O’Sensei, guiando os uchideshi nos seus trabalhos diários.
Na fila de trás: Ariel Perez, Simon Harris, Tristão da Cunha, Cecilia D’Aquino,
Rie Kajiwara, Kubota-san.
Na fila da frente, Mehmet Dougu, Daniel Brasse, Michael Fields, Manuel.

Depois do treino matinal, agora dirigido pelo seu filho e presente Soke, Hitohiro Saito Sensei, Morihiro Sensei chamava-nos para o colocarmos na cadeira de rodas. Embora fosse campo e o caminho feito de brita, Sensei rapidamente pensou num sistema de colocação de tábuas ao longo do caminho, que se iam colocando na direção em que ele queria ir. Uma pessoa guiava a cadeira e outras duas, tiravam as tábuas por onde a cadeira tinha passado e colocavam-nas à frente, de acordo com as direções de Sensei.

Todos os dias, depois de ajudar a banhar Sensei, juntamente com a uchideshi Rie Kajiwara, a uchideshi que mais tempo ficou no Japão como uchideshi de Morihiro Saito Sensei, Sensei dava-nos vários trabalhos interessantes e depois, como era seu costume, convidava-nos a comer e tomar algo, desta vez, não no Shin dojo mas em sua casa, com Okusama a ajudar, aos pés da sua cama.


Estava nesta altura como uchideshi o Dr. Jordan Kramer, dos Estados Unidos, que era um uchideshi regular em Iwama. Quando ia, verificava sempre o estado de saúde de Sensei. Desta vez, falei com ele e disse-lhe para averiguar quanto tempo Sensei teria de vida. Depois da consulta, o Dr. Jordarn disse que Sensei não deveria ter mais de 6 meses de vida, o que provou estar certo.

Falei então com Hitohira Sensei e disse-lhe o resultado da consulta do Dr. Jordan. Perguntei-lhe se deveríamos avisar os alunos de Morhiro Sensei. Depois de pensar um pouco, Hitohira Sensei disse que eu me encarregasse dos alunos estrangeiros e ele falaria com os alunos japoneses.
Assim fiz. Pedi a todos os uchideshi presentes que ligassem a cada um dos seus professores e que avisassem sobre a condição final de Morihiro Saito Sensei. Telefonei para outros mestres da Europa e de outros países não europeus.

Assim, durante uns meses, vários mestres de renome vieram a Iwama despedir-se de Sensei. Vieram de todo o Japão e de todo o mundo. O presente Doshu do Aikikai, Moriteru Ueshiba, também veio. Depois duma meia hora, saiu rapidamente, a chorar, na direção do seu carro que aguardava, com o chofer.

Foi muito interessante ver o que Sensei dizia a cada um dos seus alunos. Eu ajudava a servir o chá, e ia ouvindo as conversas. A uns dizia, ajuda o Doshu Moriteru, a outros ajuda o meu filho. Ia percebendo assim que estava a escolher o trigo do joio.

Aos que estavam contra o seu filho ou a impedir o desenvolvimento do Iwama Ryu como estilo que protegia o aikido do Fundador do Aikido, dizia para se juntarem ao Doshu, aos que eram simplesmente leais a Sensei, qualquer que fosse a sua decisão, dizia para ajudarem o filho. Foi assim que separou o trigo do joio e o presente Soke ficou com o caminho livre de obstáculos.

Até ao final foi um excelente estratega.

Ao saber que o meu tio em Lisboa tinha sido diagnosticado com cancro, Sensei chamou-me e disse-me: “Volta para Lisboa. A família vem primeiro. Para mim a minha família sempre veio primeiro. Eu esperarei por ti.” Forçou-me a voltar para Lisboa, onde assisti o meu tio diariamente, tal como tinha feito com Sensei em Iwama, até à sua morte.
Com o seu filho, no livro Traditional Aikido

Assim foi Sensei, um exemplo até ao final. Até ao final, a família, que ele gerou, sustentou e protegeu, veio sempre primeiro.

Depois da sua morte, tal como ele pediu, os que sempre o adulavam, juntaram-se ao Aikikai. Os que sempre o ajudaram, sem desejos de reconhecimento, ficaram com o seu filho. Houve um grande mestre Francês que se separou, apesar dos desejos do grande mestre, mas os outros ficaram com Hitohira Sensei até hoje, ajudando a desenvolver e a espalhar o Iwama Ryu por todo o mundo.


Desde os 17 anos até morrer, sempre com O’Sensei, sempre seguindo os seus passos.

Neste dia especial, devemos sempre relembrar o Grande Mestre Morihiro Saito.
Teve uma vida difícil como aluno mais próximo de O’Sensei. Juntamente com a sua extraordinária esposa, Sata Saito asma, passaram tempos muito, muito duros. Mas conseguiram e foram os responsáveis pela propagação do nome da pequena povoação de Iwama por todo o mundo assim como pela preservação do Aikido do Fundador, trabalho que continua sob o seu filho e sucessor Hitohira Saito Soke.

Com sua esposa e dois dos seu filhos.

domingo, 7 de maio de 2017

Relendo algumas palavras de Sata Saito



Sata Saito, mulher de Morihiro Saito Soke




"Nunca pensei em mim antes de pensar em O-Sensei nem antes do meu marido."

Novo video APASD

Foi publicado mais um vídeo de parte do sistema técnico da APASD, para ajudar os que estão a estudar para o exame de 6º kyu.
Com as técnicas expostas neste vídeo, estamos certos de que poderão compreender melhor o 6º Kyu.

Bom treino.


segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

55º ANIVERSÁRIO DO MESTRE EM ESTREMOZ

No passado sábado, dia 25 de Fevereiro, celebrou-se em Estremoz o aniversário do Mestre Tristão. Tendo cumprido os 55 anos do seu nascimento no Japão, onde foi ao encontro de Hitohiro Saito sensei que também celebrou o seu aniversário no dia 12 deste mês, esta festa atrasada foi programada pelos alunos de Lisboa e Covilhã. Ao mesmo tempo celebrámos também o aniversário dos manos Cotovios e do ausente Pedro Cardoso.

A festa contou com a presença da mãe Mónica, 5º Dan de Aikido, o mestre Hugo, 6º Dan e muitos outros praticantes de Estremoz, da Covilhã e de Lisboa. Foi uma tarde muito bem passada, alegre e movimentada. Ainda estacamos a almoçar quando apareceram os vizinhos do Aikien, com a sua filhota. Os pequeninos divertiram-se a ver os animais, a passear pela quinta e a brincar uns com os outros.

Faltaram as presenças usuais do Aristides e Madalena que não puderam comparecer por motivos de doença. Desejamos as melhoras ao Aristides. Que te recuperes rapidamente.
Desde o Alentejo, um grande abraço ao Pedro e À Naoko. Temos muitas saudades deles. Voltem rápido.


 

Um brinde ao Pedro e Naoko, ao Arisitdes e Madalena!

Aula pelo Mestre Tristão da Cunha, no honbu dojo em Lisboa

No dia 5 de Fevereiro teve lugar no honbu dojo, uma aula especial dirigida pelo mestre Tristão da Cunha.

Desde o inicio do ano de 2017, o mestre virá mais vezes a Lisboa dirigir aulas especiais. A próxima aula será no dia 18 de Março, embora haja a possibilidade de que venha a Lisboa e ensine uma aula, sem prévio aviso.

A aula foi de kote gaeshi e estudámos vários ataques para poder executar a mesma técnica.

Estiveram presentes praticantes da Covilhã Yuki dojo e do honbu dojo.

Esperamos ver mais praticantes no dia 18, onde as aulas dos adultos e dos mais jovens irão juntar-se.