quinta-feira, 28 de maio de 2020

Tachi waza kata dori dai ikkyo omote

Uke e tori estão de pé, frente a frente, em gyaku hanmi. Tori está em hidari hanmi e uke está em migi hanmi.


- Uke aproxima-se de tori e agarra o seu ombro com a mão direita.

- Tori sai fora da linha de ataque para a esquerda, com um grande movimento do pé esquerdo. O pé direito acompanha o movimento e, no final deste primeiro movimento, fica a apontar para o uke.

- Tori aplica um atemi com a mão direita, à cara do uke.

- Tori, com a mão do atemi, agarra a mão do uke, baixa ainda mais as ancas e avança para a frente do uke com o pé direito, seguido do esquerdo.

- Ao mesmo tempo que se desloca para a frente do uke, tori deve usar o tegatana da sua mão esquerda para empurrar o cotovelo do uke um pouco para cima e depois agarrar este cotovelo e cortar para baixo em espiral.

- Tori trás o braço do uke para baixo, desequilibrando-o com um movimento amplo em espiral. no final deste movimento, a mão esquerda de tori, que agarra o seu cotovelo direito, está na linha do umbigo de tori.

- Quando o uke é desequilibrado pelo tori, o agarro da mão do uke é igual ao agarro do nikyo; contudo, não deve haver a pressão nikyo.

- Tori dá um grande passo com o pé esquerdo por debaixo do uke e ao mesmo tempo empurra o seu braço com um movimento semelhante ao kaeshizuki do jo.

- Tori ajoelha-se, ao lado do uke, com o seu joelho dentro da axila direita do uke e o outro a controlar o seu pulso direito. 

- Não esquecer que a posição final é kiza.

- Nunca esquecer de dar vida à técnica com kiai.

Repetir do outro lado.


Dicas
Mal o uke agarre o ombro, a sua ideia é desequilibrar o tori para a frente e assim dominá-lo. Contudo, tori deve baixar as ancas, carregar o seu ombro com ki forte através do kokyu ryuoku e colocar-se com o seu peito paralelo ao braço do uke. Este ponto é muito importante, pois se o peito do tori não tocar no braço direito do uke, duas coisas podem acontecer: 
  1.  uke pode puxar o uke e 
  2.  tori não poderá alcançar a cara do uke com o atemi

Ao avançar para a frente do uke, tori deve fazer um grande movimento e nunca esquecer de acompanhar este movimento com o pé de trás; o pé de trás ficará mais ou menos na linha do pé da frente do uke.
Quando o uke desequilibra o tori para baixo, deve verificar que o seu cotovelo e a palma da sua mão estejam a apontar para baixo e para a frente, poi se tiverem para cima, o uke poderá fugir.
Só dar o passo por debaixo do uke para o controlo final contra o tatami, quando o uke estiver com a sua mão livre no chão: isto quer dizer que está desequilibrado e que precisa do apoio da mão para não cair.





Kaeshi tsuki: o segundo suburi do aiki jo (espetar com a mão torcida)
Kokyu ryoku: o poder adquirido através da respiração


Tori: Tristão da Cunha, 8º Dan
Uke: António Miguel Serra, 5º Dan
Filmagens: Rui Pessoa Pires

Não praticar sem a presença de um professor.


Todas as pessoas envolvidas nos nossos vídeos e livros técnicos, autorizaram por escrito a utilização das suas imagens.